16 de janeiro de 2010

A ESCOLA DE ALUNOS MARINHEIROS

O guião da Escola de Alunos Marinheiros

A recruta é, geralmente, o período mais difícil da vida de um militar. Eu não fui excepção e as dez semanas da Instrução Militar Básica, na Escola de Alunos Marinheiros, foram muito complicadas em termos de adaptação, não só à vida militar em si, mas também à difícil convivência existente não só entre os elementos da companhia de que fazia parte, mas também do pessoal das companhias de recrutados para o cumprimento do serviço militar obrigatório, que tinham em relação aos voluntários um preconceito difícil de explicar, que era muitas vezes expresso em frases injustas e desmotivadoras do género:
“vieste para a Marinha porque não tinhas que comer em casa”. Claro que isto era apenas uma expressão usada por alguns, apenas como uma forma de critica pela nossa entrada no serviço militar voluntariamente, mas que na verdade não ajudava em nada à adaptação e ao moral de pessoas mais novas que precisavam de ouvir palavras muito diferentes das usadas nesse tipo de frases que, na altura, estavam bastante na moda. De facto, do período da recruta, no que respeita à convivência e entreajuda de pessoas que estavam no mesmo “barco” as recordações que tenho não são muito agradáveis e penso até que em relação à minha pessoa, talvez por ser muito novo, tinha apenas dezasseis anos e a aparentava ainda menos idade, a rejeição dos mais velhos terá sido ainda maior. Isto não invalida ou diminui o grande orgulho que sinto por ter ali estado e a minha admiração por aquela Escola e pela sua missão de educar e converter os jovens que lhe eram confiados em militares disciplinados, desembaraçados e aprumados e em cidadãos honestos e trabalhadores. A minha admiração é extensível e até redobrada em relação aos instrutores que não se poupavam a esforços para que a Escola tivesse êxito na sua missão.

Esta foto é da Revista da Armada de Novembro de 1973 e mostra os marinheiros da incorporação de Setembro desse ano quando, após Juramento de Bandeira, saíam da E.A.M. e entravam na parada das Escolas Técnicas do Grupo 1.


De resto, creio que muito do que se dizia em relação ao serviço militar, que era tido como uma obrigação indesejável por alguns, se devia muito ao regime político que vigorava na época, o que fazia com que se dissessem coisas que não eram verdadeiramente sentidas e creio que a maioria, se não a totalidade das pessoas que cumpriram o seu serviço militar na Marinha, sentem orgulho nisso e saudades desse tempo e dessa Escola, o que de resto está patente no desgosto pela sua extinção, pois até neste blogue, no meu artigo: “O fim do Grupo nº 1 de Escolas da Armada”, alguns filhos da escola têm deixado os seus comentários, manifestando grande tristeza pelo seu encerramento.

Começavam cedo os dias na Escola. O toque de alvorada soava às 7h00 e, logo após o pequeno-almoço, iniciavam-se três tempos de aulas. Após uma paragem de duas horas para o almoço, seguiam-se mais quatro tempos, que terminavam às 18h00. Seguia-se a Leitura da Ordem à Unidade, que era feita através da aparelhagem sonora da Escola e tratava de todas as informações e ordens superiores que diziam respeito à guarnição e recrutas daquele estabelecimento militar, havendo depois um pequeno intervalo até ao jantar, após o que se seguiam dois tempos de aulas de Habilitações Literárias. Depois de uma ceia frugal tocava a recolher às 21h30 e a silêncio às 22h00.

Era um ritmo muito intenso de instrução, adequado ao momento difícil que o país atravessava naquela altura, pois devido à guerra colonial, havia necessidade de preparar rapidamente o maior número de militares possível. Durante um ano passavam por aqui cerca de 4.000 alunos, divididos em quatro incorporações, sendo que a instrução de recruta demorava dez semanas, terminando com a cerimónia de Juramento de Bandeira. As disciplinas que faziam parte da instrução de recrutas eram as seguintes:

Deveres Militares
Orgânica do Serviço
Marinharia, Embarcações e Sinais
Preparação Física Militar
Natação e Desportos
Moral e Educação Cívica
História e Geografia
Infantaria (ordem unida)
Infantaria de Combate
Armamento Geral
Aplicação Táctica do Armamento
Canto Coral

Do programa de instrução faziam ainda parte carreiras de tiro de espingarda e pistola, uma visita à Escola de Limitação de Avarias, no Alfeite, para assistir a demonstrações de ataque a incêndios e uma visita a um navio de guerra.

Esta incorporação (Janeiro de 1972), como já disse no meu artigo anterior: “O Início da Aventura Militar”, tinha 12 companhias de 80 homens cada e os voluntários, caso a memória não me falhe, constituíam um terço do Batalhão, pois existiam quatro companhias formadas por pessoal alistado nesta condição e eu fazia parte da 4ª companhia com o número 251. Cada companhia era comandada por um sargento fuzileiro que tinha como adjunto um cabo da mesma classe e um monitor de educação física que, no caso da minha companhia, era um marinheiro também da classe de fuzileiros. Depois, tínhamos os comandantes de secção e os comandantes de pelotão, que eram nomeados semanalmente de entre os alunos com melhor nota nos exames e que eram premiados com licenças especiais ao fim-de-semana. Havia também um prémio para a companhia classificada com a melhor cota de mérito. Essa classificação era obtida através da média das notas de todos os membros, não só no trabalho escolar, mas também em função da apresentação nas formaturas, revistas, instrução de ordem unida e do comportamento geral. O prémio era o Guião Escolar, que era entregue às sextas-feiras em formatura geral e era usado pela companhia vencedora em todas as formaturas. A 4ª companhia, embora o lamente, tenho de dizer que foi sempre das mais mal classificadas do Batalhão e julgo até que para o final da instrução era mesmo a última. Acho que não existia espírito de grupo, mas creio que isso se devia, em parte, ao facto de sermos muito novos e inexperientes e também algo indisciplinados, apesar da competência, do esforço e da dedicação dos nossos comandantes.

O ritmo intenso e frenético da instrução acabou por fazer mossa em alguns de nós, e começaram a surgir situações conflituosas de caserna, que em nada ajudavam a um bom aproveitamento escolar. Era um frenesim e uma correria constantes de umas aulas para outras com mudanças de roupa e equipamentos a um ritmo veloz, bastante difícil de acompanhar.

O "Livro do Grumete". Todas as matérias ensinadas na Escola constavam deste livro, que era entregue a todos os alunos no início da recruta.


Das várias disciplinas que eram ministradas nesta Escola, a que eu mais gostava era a de Infantaria (ordem unida), pois a marcha da companhia e as várias acções que se efectuavam, ordenadas pela voz do instrutor ou pelos toques de clarim, feitas por todos em sintonia, com o bater compassado das botas no chão da parada, ao ritmo do som dos tambores, era espectacular. De resto, quase todas as aulas tinham uma forte componente prática, pois os métodos utilizados seguiam uma linha de “ensinar mostrando” e “ensinar fazendo”, em vez de “ensinar falando”, o que tornava as lições bastante atractivas. Mas também eram dadas aulas teóricas e para finalizar o dia, já depois do jantar, tínhamos oportunidade de relembrar e aumentar os conhecimentos adquiridos na Instrução Primária, com as aulas de “Habilitações Literárias”, dadas por professores civis, que abrangiam principalmente as áreas de português e matemática.

Hoje vou ficar por aqui, mas voltarei a este assunto pois ainda tenho muito para dizer sobre a Escola de Alunos Marinheiros e a recruta.

Os artigos relacionados com o serviço militar estão listados em ÁREA MILITAR.

75 comentários :

  1. Joaquim Alberto Peralta Mares5 de maio de 2010 18:16

    Não sei como te chamas,nem qual a tua especialidade,sei apenas que eras,e serás sempre o 251/72 da 4ªcompªda ESCOLA DE ALUNOS MARINHEIROS,pois eu li com atenção, a tudo o escrevestes,e como não podia deixar de ser,lá tiveram que vir as "LÁGRIMAS AOS OLHOS".A razão,é simples,1 ano antes passei eu por tudo aquilo que tu,e todos os teus FILHOS DA ESCOLA PASSARAM,eu era o 201/71 da 3ªcompº,que vim a ser da especialidade de "MANOBRA".Sem duvida que fomos sujeitos a uma instrução bastante rigorosa,hoje passados todos estes anos,recordamos com saudade,e agradecemos aqueles que tiveram a coragem de nos preparar ,não só MILITARMENTE,mas também para um futuro de vida que certamente todos tivemos e, que hoje muito nos orgulhamos.
    VIVA A MARINHA///VIVA PORTUGAL
    201/71 M/M Peralta Mares

    ResponderExcluir
  2. Amigo Joaquim:
    O meu nome é José Alexandre Rodrigues Henriques e fiz a especialidade de Abastecimento. Terminei o serviço militar como Mar. L.
    Agradeço a sua visita e as palavras que deixou e espero que continue a visitar o blogue, pois irei continuar a falar da Marinha.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Licínio Moreira,

    Parabéns pela magnifica descrição e que me provoca enormes lembranças.

    Muito gostaria de encontrar antigos companheiros

    301983

    ResponderExcluir
  4. Amigo Licínio:
    Obrigado pela visita e pelas palavras que deixou.
    Aconselho-o a visitar o site do Núcleo de Marinheiros da Lousã, pois é possível que por lá encontre alguém conhecido.
    http://marinheiroslouzan.ning.com/
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. A todos os filhos da escola um abraço. Chamo-me Carlos Morozo, sou da 2ª Incorporação de 1977 e pertencia à 12ª Companhia (voluntários) que era comandada pelo 1º Sarg Tir. FZE Narciso, coadjuvado pelos Cabos FZE Machado e Pedro. Gostava de reviver esses tempos com filhos da escola e saber o contacto do Sarg Narciso. O meu contacto é 914219990
    Viva a Briosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi escolinha um abraço, sou de 1966, é bom recordar.

      Excluir
  6. Caro amigo José Henriques
    Estava entretido num intervalo do trabalho a pesquisar na internet e vi este artigo sobre a Escola de Alunos Marinheiros. Também sou filho da escola. Pertenci a 1ª companhia da 3ª incorporação de 1968. Gostei muito do artigo e lembrei-me do 1º dia que entrei na escola. A 1ª e 2ª companhias passaram 3 horas em formatura e a correr na parada por não estarmos calados depois do recolher. São coisas que nunca mais se esquecem e que este artigo me fez recordar. Mais uma vez obrigado pela recordação. Um grande abraço do marinheiro R Cruz, nº 982/68.(mrodriguescruz@gmai.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. um abraço a toda a marujada e á guarnição da fragata almirante gago Coutinho de 1969 a 1972.
      saudades da rapaziada foram 7 anos de recordações de 1968 a 1975
      marinheiro Artilheiro Chainho 591/68
      ( hcp1950@gmail.com )

      Excluir
  7. Caro amigo Cruz:
    Os anos passam mas as boas recordações ficam para sempre. A Escola de Alunos Marinheiros deixou uma marca indelével em todos os que por lá passaram. Havia muito rigor e disciplina, mas isso ajudou a fazer de nós Homens como deve ser!
    Muito obrigado pela participação, um grande abraço e volte sempre!

    ResponderExcluir
  8. O meu nome é Manuel Henrique Quintas Pinho e ingressei na Marinha como voluntário no 2º recrutamento de Abril/70 com o Nº 850/70 e pertenci à classe de radiotelegrafistas
    A todos os escolinhas um forte abraço.
    O meu contacto: 917413255; mail: henriquedaeira@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. Não pude deixar de vir espreitar aqui porque escreveu sobre marinheiros. Li o artigo todo. Sou filha de Marinheiro, que já se foi há 11 anos, com 70 de idade. Chamava-se João Duarte Pinto e o número dele 3742. Esteva gravado no conjunto de talheres e no copo de alumínio (que mais parecia prata) que trouxe para casa quando passou à disponibilidade. Tirou a especialidade Manobras. Durante a sua vida o vi, de vez em quando, a fazer nós.
    Recordo-me de num passeio de sábado termos passado ao lado de um edifício de tom amarelado, na zona de Vila Franca de Xira, e o senhor meu Pai ter referido que «andou» naquela escola a aprender a ser Marinheiro. Teria sido como Grumete que ingressou na Marinha e muito novo, pois ficou orfão aos 11 anos. Talvez por lá tenha andado nos anos 30, já que não tenho referência alguma nem alguém desse tempo para trocar impressões. Nada mesmo.
    A frase que ouvia e escreveu «vieste para a marinha porque não tinhas que comer em casa», é de alguma maneira verdadeira. Houvesse hoje necessidade Nacional de «tropa» e muitos dos jovens sem emprego e que não querem trabalhar, que andam por aí, soltos, perdidos, teriam de certeza uma boa formação, uma profissão, uma carreira e um ordenado que daria para viver, constituir família e fazer o seu caminho, a Vida, ao fim ao cabo.
    Os anos 30 do Século passado, os 40 com a II Guerra, devem ter sido tempos terríveis em Portugal. Comparados com os de hoje, não sei não.
    Para acabar, acrescento só uma coisinha, que ouvia a senhora minha Mãe dizer entre dentes e eu não entendia, quando outros pensavam que «aquela farda» de um branco imaculado, que viajou muito, primeiro no São Brás e a seguir na Sagres, trazia decerto muito dinheiro para casa, a senhora minha Mãe dizia «miséria dourada!».
    Os meus Pais souberam viver com o que havia, não aspiraram ser o que não podiam. Contas pagas, casa para habitar, barriguinha cheia, educação, instrução e algum de lado, não fosse haver alguma necessidade ou apareceu um extra. Fui educada assim. Naquele tempo havia contenção em tudo. Hoje não. Falta de Escola de Alunos Marinheiros? :)
    Fique bem. Obrigada pela sua visita e comentário.

    ResponderExcluir
  10. Reli o que escrevi e não me suou bem ao ouvido o termo passar à «disponibilidade». Não foi isso, foi passar à Reserva. Desculpem-me a ignorância :).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guidinha seu comentaria me emocionou, fui marinheiro de 1966 ate1975 passei por tud cumpri tambem em angola, o que eu ganhei??? experiencia, esaudades para recordar. Um abraço.

      Excluir
  11. Boa tarde Exmª Senhora
    ao tomar conhecimento das suas palavras, que li com emoção, devo referir que também fui marinheiro de Manobra como o seu pai, só que com 40 anos de diferença.
    Assentei praça na Armada com 17 anos, porque tal como o Sr.seu pai fiquei órfão ao 11.
    Naquele tempo era assim, por isso não me surpreende que no tempo do seu pai as condições seriam dramáticas para a juventude.
    E a Marinha foi uma grande escola de formação de homens neste país.
    O que me leva a escrever estas linhas, é o facto de saber que o seu pai esteve na Sagres, tal como eu também estive, mas ele esteve na 1ª Sagres, e curiosamente existe uma foto desse tempo onde aparece a guarnição da Sagres com a actriz Beatriz Costa em 1945.
    No meio daquela marinhagem, lembrei-me eu, que eventualmente poderia estar o seu pai.
    Desse modo sugeria que visitasse o blogue http://marinheiroslouzan.ning.com, onde encontrará a referida foto. Ali está pessoal do tempo dele, o que será interessante rever.
    Despeço-me com cordiais saudações
    Eduardo Camilo
    ex cabo M 196/70

    ResponderExcluir
  12. Eduardo Camilo, muito gosto em resposder ao seu comentário. Vou dar uma espreitadela ao sítio que recomenda.
    Muito obrigada.
    Fique bem.

    PS: agradeço a sua deferência, mas por favor, entre pessoas de bem, Guidinha Pinto é a minha graça.

    ResponderExcluir
  13. Também passei nessa Nobre Escola, mas muito mais tarde: 4ªCompanhia, encorporação de Setembro de 1988, curso abastecimentos"L". Quando passo por VF Xira ainda me arrepio, vivi lá grandes momentos.
    Um abraço a todos os marinheiros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BOAS FILHO DA ESCOLA.
      RECORDAS-TE DE ALGUEM DO BAR DAS PRAÇAS NO GRUPO 1 ?
      ABRAÇO

      Excluir
    2. Boas Camaradas, eu fui para a E.A.M. em Abril de 1988, era o marinheiro FZ da 4ª Companhia, se tiverem fotos desse tempo agradeço que me contactem, forte abraço. 925 026 661

      Excluir
  14. Frias disse...

    Passei pela Escola Alunos Marinheiros em 1992 8ªCompanhia (o 1º ano das mulheres). Grandes momentos...gostaria de encontrar grandes amigos que lá deixei...
    Um grande abraço a todos...se alguem desse tempo este texto encontrar cá vai o meu e-mail: amandio.frias@gmail.com ou Amândio Frias via Facebook.

    ResponderExcluir
  15. Boas, a todos aqueles que tentam contatar com pessoas que de uma certa forma, e com saudade; nos marcaram! Sou o "Matosinhos" 221891, 3ª companhia, essa valente menina! Se de alguma forma quererem estabelecer contacto, aqui fica ele: jose.esposeiro@gmail.com. Um bem haja a todos...

    ResponderExcluir
  16. UM GRANDE ABRAÇO PARA TODOS OS FILHOS DA ESCOLA, 117391 1º GRUMETE L

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fui da 1º companhia de 1991 era o 100691 gostava se possível encontrar camaradas dessa altura para recordar bons tempos passados tanto no grupo1 como no alfeite chamo-me Jorge andré e aqui fica o meu e-mail joka35@gmail.com contactem s.f.f

      Excluir
  17. procuro amigos da terceira incorporacao 11 primeira companhia de 1977 sou 2843/77 manuel costa se alguem souber de alguem deste ano agradecia que dessem noticias

    ResponderExcluir
  18. Gostaria de encontrar antigos companheiros que estiveram comigo na "Augusto Castilho" em 1973. Sou o Mar A-Preditor 1977/70 Antonio Vieira Pinto . meu mail avpinto-80@clix.pt

    ResponderExcluir
  19. Um forte abraço a todos os filhos da escola gostava de encontrar antigos companheiros da N R P JACINTO CANDIDO 1972 a 1975 MOÇAMBIQUE Martinho Martins ex.CM 307/72

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se já encontrou mas se não e pelo nome veja se mora em queluz de baixo

      Excluir
    2. Boas. Fiz a recruta no grupo 1 em 1991 era o grumete 00100291 Silva primeira companhia, Sargento Grilo...Marinheiro Jesus....o meu contacto é 933483171 ou elisio69@gmail.com

      Excluir
    3. Elisio pelos vistos fomos da mesma companhia porque eu era o 00100691 oliveira o mais baixinho da companhia eu e o coimbra (lembraste) tenho tentado encontrar pessoal mas não consigo e agora vejo um camarada entra em contacto joka35@gmail.com ou 965458206

      Excluir
  20. Pelo número do filho da escola Martins, vejo que devia ser da 4ª ou então da 5ª companhia. Se era da 4ª marcámos passo lado a lado, pois eu era da 4ª.
    Obrigado pela participação e um abraço.
    José Alexandre (251/72)

    ResponderExcluir
  21. boas josé era da 5 companhia e procuro filhos da escola que estiveram comigo na Jacinto Candido em 1973 Moçambique mas não está facil é sempre agradavel recordar os nossos bons tempos forte abraço Jose dá noticias

    ResponderExcluir
  22. BOAS,JOSÉ,sou António Santana,mais um filho da(ESCOLA)1340/65,fiz,recruta,I.T.E.e 1ºgrau de fogueiro-motorista,em Vila Franca,passei a (Reserva)em 1973 como Mar-C.M.,embarcado nos-N.R.P.Sam Bras no São Cristovão no Afonso de Albuquerque á altura o(NOVO)navio Hidrógrafico na Dom Jeremias e terminei na GUINÉ na N.R.P.Bombarda,gostei de ler todos comemtários,faz reviver coisas que estão adormecidas em nós,meu endereço,aftsantana@gmail.com,para o caso de algum filho da escola queira fazer contacto.

    Saudações a todos- António Santana

    ResponderExcluir
  23. GOSTAVA DE ENCONTRAR FILHOS DA ESCOLA DA 3ª DE 87
    4ª COMPANHIA DA ESCOLA ALUNOS EM VILA FRANCA

    ResponderExcluir
  24. GOSTARIA DE ENCONTRAR FILHOS DA ESCOLA DE 1994
    ESCOLA ALUNOS EM VILA FRANCA EU ERA 620794

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou de 1994 da 1ª companhia Estive lá entre Outubro e Dezembro. 1003894

      Excluir
    2. rodriguesSou filho da escola tfh n9335594 em 8/8/1994 voltei para tirar o curso de marinheiro 1996

      Excluir
    3. Sou filho da escola 9329094 8-8-94 tirei o curso de tfp. Fui colocado na escola naval de onde sai em abril de 96..

      Excluir
    4. boa tarde, sou o magalhaes do porto 10 companhia de 1994 n. 10317 ( compnhia do marinheiro fuzileiro martins - formador )

      Excluir
    5. Magalhães 10317/94 10 companhia escola de alunos marinheiros, estive como disse anteriormente nessa mesma companhia. Vivo em Gondomar aonde ainda nos dias de hoje me encontro com dois companheiros também pertencentes a essa companhia o Oliveira ( alcunha Involcuro ) de Gondomar e com o toni ( também de Gondomar ) Recordo-me do primeiro da companhia ser um companheiro de CUBA ( Alentejo ) e lembro -me de companheiros um de OVAR outro de Cucujaes esse muito mais velho que nos e já casado ( todos viajávamos e encontrávamos no comboio que saia do porto / campanha as 00:00 . Um dos formadores era o Marinheiro / Fuzileiro Martins , tínhamos também companheiros já nesse ano do sexo feminino. alguma informação contactem por favor paulo.magalhaes.prt@hotmail.com ou 914390699

      Excluir
    6. Magalhães 10317/94: ou então escoladealunosmarinheiros1994_10companhia@hotmail.com, obrigado companheiros. Um bem haja .

      Excluir
  25. Boas tardes ex. escolinhas, o meu nº1264/88, gostaria de encontrar o pessoal da minha companhia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boas Camaradas, eu fui para a E.A.M. em Abril de 1988, era o marinheiro FZ da 4ª Companhia, se tiverem fotos desse tempo agradeço que me contactem, forte abraço. "joaodasilvafz@gmail.com" (925 026 661) Facebook https://www.facebook.com/da.silva.338211

      Excluir
  26. Gostaria de ter noticias sobre Joaquim Monteiro Rafael, n. 426/8 2° grumete/Base naval de Lisboa em 1968.

    ResponderExcluir
  27. José Pinto 627/72 Mar.E, Um Forte Abraço a Todos Filhos da Escola

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Filho da Escola José Pinto,
      Estivemos juntos na EAM, pois eu era o 251/72 da 4ª Companhia.
      Um forte abraço também para ti.

      Excluir
  28. saudacoes a todos os filhos da escola.sou da incorporacao de setembro de1963 o
    Setubal 18616/10181.adorava encontrar rapaziada que esteve comigo na comissao da
    d.Francisco de Almeida 1965/1967.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola filho da escola,
      Eu sou António Baptista e 18628/10193, tal como tu iniciei a recruta em 1/10/1963,és como eu da 1ª companhia, lembras-te que fomos inaugurar as casernas??? Tu dormias no ultimo quarto do corredor, ou seja ao fundo, e eu no quarto a seguir.O nosso Sargento de instrução era o Sr Jober estive sempre em fragatas e patrulhas operacionais, Nuno Tristão, Diogo Cao, etc, e acabei no patrulha São Vicente em Angola 68/69. Tive baixa em Setembro de 1970, se por ventura tens contactos com outros filhos da escola, comunica saudaçoes.

      Excluir
    2. ola filho da escolar o meu numero era 18669/10232 Adriano Bastos conhecido por o (Anadia) tal como tu iniciei a recruta na mesma altura e lembrome com muita saudade de todos estive embarcado no patrulha Princepe in Angola estou muito contente por ter encontrado dois filhos da escola presentememte nao me encontro em Portugal e nao sou um perito no competador um abraco para ti e para os filhos da escolar do Anadia

      Adriano Bastos

      Excluir
  29. Para quem esteve na recruta em Abril de 1965 em Vila Franca de Xira agradeço que me informem se conheceram alguém da freguesia de Marinhais. Porque tenho um amigo, de seu nome José Luís que foi recruta nesse mesmo ano (1965) e que gostaria de saber dele. Se alguém souber, agradeço que me informe neste sítio. Obrigado

    ResponderExcluir
  30. Fui filho da escola na 8ª companhia da 1ª incorporação de 1984 de onde passei para o grupo nº1 para tirar a especialidade V depois fui para o museu de marinha ate 28/02/86,tenho boas recordações desse tempo e orgulho de ter sido marinheiro,um abraço para todos os colegas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou o 170984 Cabo L filho escola da 9ª Companhia da 1ª incorporação de 1984, também passei pelo G1EA, estou embarcado na Fragata D. Francisco de Almeida.
      Um abraço a todos os filhos da Escola.

      Excluir
  31. Ola fui marinheiro L na 2ª incorporação de 1984 - Fernandes -estive sempre no Grupo nº 1 , onde trabalhei no comando, fazia pagamebnto rsrsrsr. fopi um dos melhores tempos da minha vida. Tenhoa saudades. Se aparecer alguém aqui conhecido que dê sinal. Um abraço a todos os filhos da escola

    ResponderExcluir
  32. Fiz a recruta em Vila Franca de Xira e era o 1661/67.Tive a honra de marchar no juramento de bandeira e de levar o guião da companhia (2ª companhia)porque o sargento Lagarto considerou que eu tinha sido o 1º classificado na recruta e como tal merecia essa honra.
    Não me esqueço das lágrimas do meu pai a assitir a esse juramento, tanto mais que eu tive que falsificar a assinatura dele para poder ter ido à inspeção para a Marinha,pois como sabem todos,aos 17 anos tinhamos que ter tal autorização como voluntários.
    Se alguem ler isto e for desse tempo e me conseguir fotografias desse juramento seria uma alegria do tamanho do mundo.
    Deixo aqui o meu mail: joaoroca@sapo.pt

    Um grande abraço para todos os Filhos da Escola

    ResponderExcluir
  33. Boa noite,
    Procuro camaradas que estivessem em Vila Franca na recruta da marinha de 15/07/1968. 6ªcompanhia. Belmiro Joao Tlm:967396731
    mail: patrickjfpinto@gmail.com

    ResponderExcluir
  34. Boas Filhos da Escola,
    Sou o Ricardo Lacerda, mais conhecido por "Campanhã"
    Procuro camaradas que estiveram na 7ª companhia, 10ª incorporação, entre outubro e dezembro de 1994
    Meu mail ricardolacerda@sapo.pt

    Um grande abraço para todos os Filhos da Escola

    ResponderExcluir
  35. Saudações a todos os filhos da escola,estive em V.Franca na incorporação de Setembro de 1976, 2013/76 (o fotografo) gostaria de contactar com camaradas desse tempo para matar saudades, estive também na Base Naval e por fim no Ministério da Marinha, Chefia do Serviço de Justiça.
    fotogaspar@hotmail.com 969356572.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  36. É SEMPRE MUITO GRATIFICANTE PODER VIAJAR NO TEMPO . AQUELE TEMPO DA NOSSA MOCIDADE . TAMBÉM EU FUI UM PRIVILEGIADO POR PODER TER CRUZADO OS PORTÕES DE TÃO NOBRE INSTITUIÇÃO , EM OUTUBRO DE 1976 .PARABÉNS A TODOS QUANTOS TEM CONTRIBUÍDO NO PERPETUAR DE INFORMAÇÕES , RETRATANDO UM PARTE DAS NOSSAS VIDAS VIVIDAS INTENSAMENTE NA ESCOLA ALUNOS MARINHEIROS
    UM ABRAÇO A TODOS OS FILHOS DA ESCOLA , DE ONTEM , DE HOJE E DE AMANHÃ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço minhas as palavra do filho da escola António Amaral 1405/76 7ª comp de Junho

      Excluir
  37. Foi muito gratificante ler os vossos saudosos comentários acerca da vossa vida militar e dos colegas, companheiros dessa enriquecedora viagem. É neste contexto que me permito fazer uma pergunta:

    Quem se lembra do 1º tenente José Maria Coito Duarte?

    Esta minha questão pretende eventualmente prestar-lhe uma simples homenagem, através do contributo de quem com ele privou, uma vez que já não se encontra entre nós e não deixou descendência que possa perpetuar a sua memória. Sei que falava da Escola Nº 1 da Armada com muito carinho, sei que se dedicou de alma e coração ao seu trabalho e sei que, onde quer que esteja ficará contente com esta minha atitude.
    Na qualidade de viúva de José Maria Coito Duarte, agradeço a vossa disponibilidade por me lerem até esta linha.Obrigada!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Maria. Muito obrigado pela visita e pela participação.

      Certamente que irá aparecer alguém por aqui que tenha conhecido o 1º tenente Duarte. É comum a todos os antigos marinheiros que passaram pelo Grupo nº 1 de Escolas da Armada, o sentimento de carinho por essa Escola e também a tristeza pelo seu encerramento total, que aconteceu há quatro anos atrás. Já agora, se algum camarada que tenha conhecido o referido oficial, possua algumas fotos com ele relacionadas se as quiser partilhar enviando-as por email, serão aqui publicadas.

      Os meus melhores cumprimentos.

      Excluir
    2. Exª srª eu estive na escola alunos marinheiros em 1963 a fazer a recruta e conheci lá um sargento que dava pelo nome de Duarte julgo que se trata da mesma pessoa que mais tarde seria 1º tenente se era ele só posso dizer que se tratava de um Homem com H grande como aliás todos aqueles que fizeram de nós homens como no meu caso que entrei na marinha com 17 anos.por isso quero dizer que tive orgulho em privar com o senhor que julgo ter sido o seu esposo sem mais os meus respeitos e até sempre

      Excluir
  38. viva Anadia aqui o Batista vai-te lembrar quem sou eu:cheguei a Luanda ás I.N.I.C e ao passar pelo navio de cimento que servia de amarração aos patrulhas com quem eu dou de caras com o Anadia que assim que soube que eu tinha tirado o curso de educação fisica engatou-me para montar argolas para fazer exerçiçio vê bem no meio de aquele emaranhado de ferros todos retorçidos e lá fizemos,só de doidos bem de qualquer maneira espero que estejas bem aonde quer que estejas e aproveito para te desejar boas festas assim como aos teus familiares e porque não atodos os filhos netos bisnetos filhos da escola BATISTA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Batista voce tem "FaceBook"? Eu estou no FaceBook como "Adriano Bastos"..

      Excluir
  39. Alo Batista obrigado por me lembrares os bons momentos que passamos nesse navio de cimento fazendo ginastica pois as vezes ainda sonho pois eu me record de ti falando um pouco de min pois emigrei para o Canada aonde me encontro a 42 anosmas tenho ido a Portugal todos os anos portanto la para Abril penso en estar por ai deseijo que tenhas passado umas festas feliz com os teus familiars Adriano Bastos (Anadia)







    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alô Anadia sim tenho facebook e estou como antonio batista sim passei o natal e ano novo com as minhas três filhas e três netos e respetivos genrros como é habitual e acerca de estares hà 42anos aí continua mais 42 pois por cá antigamente o governo era como era mas este agora só se lembra de tirar dinheiro aos reformados por isso continua por aí e vem só de vez em quando gozar este nosso maravilhoso sól que por enquanto não pagamos imposto

      Excluir
  40. Magalhães 10317/94: ou então escoladealunosmarinheiros1994_10companhia@hotmail.com

    ResponderExcluir
  41. adriano ja enviei um pedido de amizade

    ResponderExcluir
  42. 2750/79 2ªCompanhia Joaquim Santos (Campanhã)
    Ler tudo isto emocionou-me.
    Abraço para todos os Filhos da Escola.

    ResponderExcluir
  43. Boa tarde,

    Chamo-me Joaquim Barbosa, nº 254/68 e procuro filhos da escola da 1ª incorporação 5ª companhia de 1968.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  44. 2376/69 CM . Outubro 4ª companhia ( Sargt. PATRÃO )são comentários como estes e narrativas tão fieis que nos fazem recuar umas dezenas de anos, que nos lembram a ( BRIOSA ) que nos ajudou de uma forma mais rapida a ser-mos mais adultos, também eu entrei com 17 anos e ainda com 18 estava no ultramar a bordo da N.R.P. Gen. Pereira D`eça F477 , 1ª Guarnição. Quem fez parte dessa guarnição procurem no face por CARLOS CORREIA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sarg. Patrão. Obrigado pela visita e pelo comentário.
      É verdade, a BRIOSA é uma eterna fonte de recordações para todos os que por lá passaram.
      Um abraço.

      Excluir
  45. 2201/69 Ventura- sarg. Patrão somos da mesma escola,eu era da 1ª comp. do sarg. Ferreira,manobra ,tirei o ITE no Santo André1 º grau na SAGRES navegando para Inglaterra,França ;Canárias, Madeira,acabei o curso Fui para o Pedro Nunes para a Guiné fazer Hidrografia,terminei na Direcção de Farois em Paço de Arcos,tempos maravilhosos e hoje com muita pena de não ter continuado,mas sempre ligado a tudo o que é marinha, e filhos da escola, se puderes e quizeres diz de és pois eu sou de cordinhã-cantanhede e moro em Oiã-o.do Bairro Aveiro mail-sgv52@sapo.pt 917618077fizemos o ano passado o convivio em Cantanhede,dá noticias um abraço do tamanho do mundo em especial para o jose henriques.

    ResponderExcluir
  46. UM ABRAÇO A TODOS OS FILHOS DA ESCOLA QUEM SOU 949/68 GRUMETE F. DE 15 JULHO GOSTAVA DE TER CONTATO COM AMIGOS,

    ResponderExcluir
  47. ALO SARGENTO PATRAÕ NOS ENCONTRAMO-NOS EM 1969 NAS INC NA ILHA DE LUANDA UM ABRAÇO MCMPORTUGAL@GMAIL.COM

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...