PLANTAÇÃO DE OLIVEIRAS


Um olival plantado recentemente.


Nos meus tempos de criança, já lá vão cinco décadas, recordo-me de que as oliveiras eram muito estimadas. Eram consideradas quase como árvores sagradas e não era plausível que alguém ousasse abater uma oliveira sem um forte motivo. O respeito por essa espécie era tanto que facilmente se avistavam barracões e outros edifícios que tinham copas de oliveiras a saírem pelo telhado. Esses edifícios eram construídos no local onde se encontravam implantadas as árvores e os respetivos donos não se atreviam a arrancá-las, tal era o respeito que lhes era devido. E até muros que eram levantados em propriedades, cujas estremas tinham oliveiras no seu alinhamento, eram construídos deixando espaço para que essas árvores pudessem sobreviver e continuar a dar os seus frutos.


  
Noutros tempos não se arrancava uma oliveira por "dá cá aquela palha".

O fruto da oliveira, a azeitona, assumia grande importância nas parcas economias domésticas de então, tal como, de resto, todas as atividades agrícolas, pois para muita gente a agricultura era o mais importante, senão mesmo o único meio de subsistência.

Mas não foi sempre assim. Como é sobejamente conhecido houve grandes alterações nas atividades agrícolas a partir da entrada de Portugal na CEE. Mudanças que, boas ou más, não me competem analisar, nem tenho competência para fazer essa análise. Mas, na minha opinião, foram más na sua maioria.

Talvez não seja totalmente alheio a essas medidas, o facto do respeito que existia pela oliveira, de que falei acima, tenha sido perdido e muitos olivais tenham sido destruídos, alguns simplesmente pelo abandono a que foram votados, com as silvas a invadirem completamente o seu espaço. Outros ouve em que as oliveiras foram arrancadas apenas para aproveitar a sua lenha para queimar, não tendo sido plantadas outras árvores em sua substituição.


Oliveira centenária na zona de Condeixa. 

O país está em constante mudança (infelizmente nos últimos tempos sempre para pior) e, agora, talvez se tenha chegado à conclusão de que afinal a oliveira é, como sempre foi, uma árvore amiga que produz um excelente fruto, do qual se extrai o azeite esse subproduto que é ótimo para confeção e tempero de muitos pratos, ainda para mais com efeitos benéficos para a saúde.

É certamente devido a essa nova visão, ou para remediar erros do passado que, por todo o lado, se encontram novos olivais de plantação muito recente. Durante muitos anos não se via ninguém a plantar uma oliveira; viam-se sim, muitos a abatê-las…

Errar é humano e, felizmente, esse erro parece que está a ser corrigido, estando a surgir um novo e positivo olhar sobre a agricultura e isso é bom, sem dúvida…

Página da Direção Regional de Agricultura do Centro sobre a cultura da oliveira    
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário :

  1. Pura verdade concordo em absoluto + ainda . Tenho por perto um enorme olival ,plantado nos anos 60 que foi abatido para plantar eucaliptos , e ainda com subsideos do Estado que somos todos nós . A isto eu chamo Ministério Selvagem,comandado por PARASITAS . Obrigado pelo vosso (ABRE OLHOS)

    ResponderExcluir