CRIAÇÃO DE POMBOS DOMÉSTICOS

A criação de pombos domésticos em liberdade é uma atividade que não acarreta qualquer despesa. Essas aves, andando à solta, procuram o seu próprio alimento e ainda se tornam agradáveis à vista, voando ao redor da nossa habitação, fazendo voos picados e pousando no nosso telhado ou no chão do nosso pátio e o melhor é que também nos fornecem carne para a despensa, sem nos darem qualquer trabalho.

Este parágrafo parece conter a solução perfeita para uma ajuda à autossuficiência alimentar, mas, infelizmente, o que lá está escrito não é totalmente correto. Eu pensava desse modo antes de me decidir a criar pombos na minha chácara, no entanto, passado algum tempo depois de ter iniciado essa atividade, comecei a verificar que não era bem assim.

Esta foto mostra (mais ou menos) como era  o meu pombal que se situava
dentro do galinheiro. Junto ao teto que era forrado com esferovite, vê-se a
pequena abertura por onde as aves entravam e saíam.


Para começar a criar pombos não é necessário gastar nada, basta pedir a um amigo um casal dessas aves, trazê-lo para o galinheiro e arranjar uma gaiola de madeira que pode ser feita de um frigorifico velho, sem porta, e colocá-la num ponto alto, podendo ser pregada a uma parede. Depois deve-se lá colocar um pouco de palha para que façam o ninho e esperar que a fêmea comece a pôr os ovos, o que não demora muito se o casal já for adulto. Foi assim que procedi e o resultado foi positivo. Os pombos convivem muito bem com as galinhas e, passado pouco mais de um mês meses, o casal de pombos já se tinha reproduzido, obrigando à montagem de mais duas gaiolas. Felizmente não era difícil encontrar frigoríficos e não era por aí que iria haver motivo que impedisse os casais de pombos de exercer a sua atividade reprodutora. Disse casais porque, entretanto, já se tinham formado novas duplas amorosas que se empenhavam em aumentar a população daquele pombal rudimentar.

Um pombal de construção rudimentar.

É preciso ter em atenção que só se devem colocar as aves em liberdade após surgir a primeira ninhada. As aves que constituem um casal alternam-se a tomar conta dos filhos e a procurar o seu alimento e por isso podem ir dar uma volta que regressam sempre, a não ser que tenham o azar de ser caçados por alguém pouco escrupuloso. Para a passagem dos pombos tinha feito uma pequena abertura junto ao teto do galinheiro, por onde os pombos entravam e saíam livremente e, realmente, gostava de os ver em bando, voando e aterrando nos telhados dos edifícios da chácara. Porém, as aves foram-se tornando cada vez mais atrevidas e começaram a pousar também nos telhados e nos terrenos dos vizinhos. Comecei a recear que isso os incomodasse e me viesse a causar problemas e pensei que iria ter que fechar o pombal ou, melhor, o galinheiro.

De facto, passado algum tempo, um dos vizinhos chegou ao pé de mim a queixar-se de que os pombos lhe tinham comido o grão de bico que tinha andado a semear no seu quintal. Resolvi então acabar com a liberdade das aves, porque não queria aborrecimentos com ninguém e também já sabia, de antemão, que na criação de pombos domésticos em liberdade, existia esse velho problema, que era a interferência das aves nas propriedades alheias, ainda que ache que elas não fazem grandes estragos e que só comem as sementes que estiverem à superfície da terra, pois não esgaravatam como as galinhas.

Esta foto mostra um pombal de construção mais apurada. Por debaixo tem um
espaço pavimentado para a recolha dos dejetos.

É certo que os pombos mesmo que comessem alguma coisa por fora estavam sempre à espera que eu lhes desse a sua ração e convenci-me que, no que respeitava à alimentação, de pouco valia andarem à solta. Fechados no galinheiro perdiam a sua graça e a única vantagem agora era a produção de carne.

Mas a verdade é que eu tinha alguma relutância em utilizar os pombos como alimentação e o resto da família nem queria ouvir falar em matar estas aves e achavam que deviam ser consideradas como animais de estimação.

Comecei, a partir daí, a perder o entusiasmo com que iniciara aquela atividade e aos poucos acabei mesmo por desistir dela, mas isso não invalida que, para quem não tenha problemas em consumir a carne destas aves, a sua criação possa ser uma boa opção para ajuda à sustentabilidade económica, porque elas reproduzem-se muito bem, sem ser necessário qualquer cuidado especial a não ser a limpeza regular das gaiolas e dos ninhos.

Num parágrafo do livro “Guia da Autossuficiência” de John Seymour, a criação de pombos é abordada e também apontada como uma boa atividade para a autossuficiência: diz o seguinte:

Por minha vontade, os pombos andavam sempre em liberdade. Faça um pombal e arranje, em casa de alguém conhecido, alguns pares de pombos adultos (já em casal). Antes de os deixar andar completamente livres, meta-os durante três semanas no pombal, numa espécie de gaiola que os deixa ver para o lado de fora (é muito importante). Depois, deixe-os sair; dê-lhes um pouco de grão todos os dias e deixe-os à vontade. Deste modo não lhe darão qualquer trabalho, não lhe custarão praticamente nada, e fazem poucos estragos nas culturas, mesmo que no íntimo deseje que eles comam as colheitas dos vizinhos e não as suas. E, mesmo que os vizinhos abatam alguns dos seus pombos, você não ficará arruinado. Apanhe os pombos pequenos, quando a parte debaixo das asas estiverem completamente cobertas de plumas. Mate, depene, esvazie e ate-os, como faz com os frangos…


Depois da minha experiência com criação de pombos acho que não posso concordar totalmente com esta opinião…  

Comentários

  1. Gostei muito das dicas eu ja comecei a criar um casal de pombos e pretendo continuar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário. desejo-lhe sorte com a criação de pombos.

      Excluir
  2. Gostei muito das divas...comecei recentemente 10-03-2016 uma criacao de pombos ainda borrachos, ja estao cobertas de penas e a plumagem amarela ja sent desfez...gostava de saber quando e que estes vao comecar a botar ovos, e que estou ansioso em is ver a voar. Abracos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda vai demorar cerca de um ano a procriarem, mas depois é sempre a andar, os pombos criam várias ninhadas por ano.

      Excluir
    2. Muito agradecido...peço que me esclareça. Ví num outro blog que os pombos borrachos atingem a maturidade sexual aos 4 meses de idade e que aos 5 já passam a botar os ovos. Será?

      Excluir
    3. Não sei ao certo com que idade começam a pôr ovos. Quando fazia criação de pombos nunca verifiquei isso, mas é provável que com cinco meses já possam fazer criação. Eu também li algures que os pombos atingiam a maturidade sexual com um ano de idade, mas, pensando bem, acho que não demoram tanto tempo.

      Excluir
    4. Se esses seus dois pombos foram criados no seu pombal desde pequenos já pode solta eles q eles vão volta sempre

      Excluir
    5. Ja soltei eles, vão e voltam...só que o meu azar é o de o pombo macho, cruzar com outro macho, deixando o pombo(fêmea) que cpm ele nasceu...fico sem saber o que fazer diante desta situação. Ajudem-me...abraços

      Excluir
    6. Não sei o que poderá fazer, mas acho que não é caso para preocupação, os pombos sabem o que devem fazer. É a sua natureza.

      Excluir
  3. Agradeço pelo comentário, comprei um casal adulto que estava quase a botar ovos, botou e chocou, agora sou avô, liberei eles, vão e voltam. Abraços

    ResponderExcluir
  4. Boa noite.onde eu compro pombos para criação?

    ResponderExcluir
  5. Achei uma pombinha filhote e hoje ela está crescida. Quero devolvê-la para
    natureza, porém ela só quer ficar dentro de casa. Como faço? Será que ela vai se virar sozinha se eu levá-la para longe e soltá-la?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os pombos domésticos são assim, afeiçoam-se às pessoas e depois querem estar sempre junto delas. Se a deixar sozinha provavelmente não sobreviverá. O melhor será largá-la junto de outros pombos ou dá-la a alguém.

      Excluir
  6. Eu já tenho os pombos só estou com dificuldade pra casa-los e saber quando estão casados, e como faço pra casa-los? Eu deixo eles juntos durante um tempo ou eles se casa com o tempo ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só tem que deixar o casal junto, que a Natureza se encarrega do resto...

      Excluir
  7. Deixo juntos quanto tempo ? E como vou saber se estão casados ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como assim, deixo juntos quanto tempo?! Deixa-os juntos para sempre. O macho também vai colaborar no choco dos ovos e para saber se estão casados... ou melhor, para saber quando estão a acasalar basta observar como fazem os humanos quando estão a namorar, dando uns beijinhos, etc. É assim que os pombos fazem...

      Excluir
  8. Não eu não expliquei direito, eu deixo eles juntos presos no mesmo local e posso soltar todos os dias ou tem um tempo certo ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só os pode soltar depois de terem feito criação. Depois disso pode deixá-los em liberdade que eles voam pelas redondezas, regressando sempre ao pombal.

      Excluir

Postar um comentário