PEÇAS DE ALUMÍNIO EM BICICLETAS


Já imaginou o que poderia acontecer se o guiador da sua bicicleta quebrasse quando fosse a circular numa descida a 40 km à hora, ou mais? Provavelmente iria desequilibrar-se e cair, podendo sofrer consequências graves.

Vem isto a propósito de um acidente que me aconteceu há dias, felizmente sem gravidade, talvez porque a velocidade a que ia era apenas de cerca de 10 km hora. O guiador de uma das minhas bicicletas quebrou junto ao espigão, repentinamente e sem nada que o fizesse prever. Por acaso, circulava em terreno plano e, como a velocidade era muito pequena, não cheguei a cair da bicicleta, tendo apenas originado um pequeno despiste. Já é o segundo guiador que me quebra e ambos eram de alumínio; da primeira vez que isto me aconteceu foi numa bicicleta de corrida com o guiador recurvado, já lá vão duas dezenas de anos. Agora era uma bicicleta de montanha, com quadro em aço e o guiador não era o original, tinha sido adquirido posteriormente. Para além dos guiadores também uma vez numa subida, pedalando em esforço, partiu um crenque também em alumínio. Nenhum destes acidentes causou grandes danos, só a contrariedade própria do acontecimento e umas pequenas escoriações, que me lembre.

Este último contratempo fez-me refletir sobre se existe alguma vantagem em adquirir peças de alumínio, pois poderemos estar a cometer um erro pensando que algumas gramas de peso a menos nos farão andar com mais velocidade ou fazer menos esforço para pedalar. A minha experiência de mais de 50 anos a andar de bicicleta diz-me que mais quilo menos quilo no peso da bicicleta não vai ter grande influência, nem na velocidade nem no esforço, exceto, talvez, se for para andar em competição e mesmo assim não sei, porque o que conta verdadeiramente para uma boa prestação a pedalar é estarmos em boa condição física e psicológica. Se não estivermos bem a bicicleta mais leve irá parecer que é feita de chumbo e se for ao contrário, uma bicicleta mais pesada parece que gira como se tivesse um motor a ajudar.

Naturalmente que as bicicletas modernas já estão preparadas para suprir a fragilidade do alumínio e são fabricadas de modo reforçado.

Quando surgiram as primeiras bicicletas de corrida equipadas com aros finos de alumínio era frequente a quebra de raios e consequente empeno das rodas. Esse problema hoje já não se coloca tanto, pois entretanto surgiram os chamados aros duplos. Estes aros são reforçados interiormente aguentando melhor o peso do ciclista e os impactos com as irregularidades da estrada.

Também os quadros e as forquetas se apresentam agora mais volumosos. Isso poderá ser também pela estética, mas tem o inconveniente de aumentar o peso da máquina. Eu tive uma bicicleta de montanha com o quadro de alumínio que era incrivelmente pesada. O quadro era bem volumoso e tinha uma suspensão à frente que aumentava bastante o peso. Esta bicicleta para além de ser bastante pesada e dos seus pneus largos causarem um enorme atrito, havia dias em que ela me parecia extremamente leve e outros em que parecia que as rodas se colavam ao chão. A diferença estava somente na disposição e forma física.

O que também conta muito é uma boa afinação da bicicleta com as rodas bem desempenadas e sem folgas de qualquer espécie. Numa bicicleta em boas condições mecânicas, seja ela de ferro ou de alumínio, se estivermos com boa disposição e força nas pernas, não é um quilo a mais ou a menos que irá fazer diferença.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários :

  1. Caro amigo, tem já um tempo que aqui não venho... pra dizer a verdade, nem ao meu blog tenho ido.
    Sabe que eu de bicicletas não entendo nada, voce já sabe que só voltei a andar por causa do namorado que pratica o esporte com gosto.
    Bom, na verdade,eu mesma sofri um pequeno acidente enquanto andava de bicicleta e nada havia quebrado, fui eu mesma que errei. Errei na conclusão de uma ultrapassagem e caí feio.
    Estava em terreno pedregoso e como presente ganhei um 'quase' osso quebrado e um grande corte no cotovelo ... a cicatriz ficou bem feia, devo dizer e, depois disso o namorado tem evitado que eu ande, talvez com medo de eu cair de novo...ahahah.
    Acho que voce tem razão nesse pensamento, realmente o alumínio deve ser mais leve mas, acredito que muito mais útil para competições do que para o dia à dia.
    Beijinho e até breve amigo!

    tin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá cara amiga. Foi com grande alegria que hoje, ao ligar o computador, vi que tinha um comentário seu. Já tinha sentido a falta da sua presença aqui no blog e cheguei a estar preocupado, mas através do seu blog verifiquei que era apenas "preguiça" de escrever e fiquei mais descansado... rss.
      Ainda bem que não lhe aconteceu nada de muito grave com a queda que deu. Andar de bicicleta comporta alguns riscos e por isso é preciso muito cuidado. Eu também já tive alguns acidentes e um deles até com alguma gravidade, mas nunca desisti nem conto desistir enquanto puder porque é uma atividade que me dá muito gosto e também é saudável.
      Muito obrigado pela participação. Conto sempre com a sua presença no meu humilde blog.
      Beijinho.

      Excluir