Criação de marrecos

Os marrecos não possuem as carúnculas
 (verrugas vermelhas) sobre o bico e em torno
 dos olhos, características dos patos.
Depois de já ter escrito no blog sobre criação de patos, venho neste artigo escrever sobre marrecos. É certo que muita gente confunde patos com marrecos e vice-versa, eu próprio considerava os marrecos como sendo patos, mas a verdade é que não é bem assim. É certo que são aves aquáticas com muitas semelhanças e por isso são facilmente confundidos. Criadores experientes sabem distinguir uma espécie da outra por vários motivos, mas apontam as carúnculas (verrugas vermelhas) sobre o bico e em volta dos olhos como a característica mais visível para especificar o pato, além do fato de a ave ser mais alongada. Já os marrecos são mais compactos e definidos, o que pode facilitar a padronização dos exemplares.
  
Os marrecos são aves mais rústicas e precoces, até mesmo do que as galinhas. Consomem uma quantidade maior de alimentos, mas exigem instalações simples, menores e consequentemente mais económicas.

O marreco de Pequim é uma ave de rápido crescimento, originária da China e destinada principalmente à produção de carne, produzindo também ovos. É ainda ornamental, servindo para embelezar o quintal, sítio ou fazendas e, além disso, produz penas.

Para quem quer iniciar a criação, o ideal é adquirir poucos exemplares, dois lotes, por exemplo, compostos cada um de um macho e cinco fêmeas. Além disso, se o criador pretende obter uma carne saborosa, isenta de sabores estranhos, alimente-os apenas com ração balanceada, do tipo usado para aves. Se os alimentar com peixes, os ovos e a carne ficarão com este sabor.

O marreco de Pequim é considerado a melhor raça entre os marrecos, pois apresenta excelente ganho de peso e com cerca de três meses de idade pode atingir cerca de três quilos, quando então é abatido. A criação dessa raça proporciona bons lucros, pois além da qualidade da carne, a fêmea é boa poedeira. É precoce resistente, rústica e a criação é muito fácil, principalmente porque os marrecos não são exigentes quanto as instalações e se adaptam muito bem às condições de clima do Brasil.

É possível criar marrecos no fundo do quintal, mas a criação desenvolve-se melhor quando se dispõe de água corrente para que os animais possam beber e nadar diariamente. Crie marrecos em local de terra batida, cercado com tela, bambu ou madeira, numa altura de 80 cm, pois eles não costumam voar alto. No interior do cercado, faça um abrigo rústico, de madeira, com um dos lados totalmente fechado para proteger as aves dos ventos dominantes da região. Cubra o abrigo com telhas francesas ou sape, pois os marrecos precisam de um local sombreado, não tolerando sol muito forte. Se possível plante na área de terra pequenos arbustos para a obtenção de sombra.

Faça um tanque pequeno. De cerca de 4x3 metros e 50 cm de profundidade, distante 50 metros do abrigo, no máximo. Isso obrigará as matrizes e reprodutores a caminharem até ao tanque, permitindo um bom desenvolvimento dos músculos e facilitando a digestão.


POSTURA


Normalmente a postura começa em Julho e a fêmea põe de 80 a 130 ovos durante o período. Para os ninhos, use caixas de papelão ou madeira, com palha no fundo. Em geral, a postura é feita à noite ou pela manhã. Por esse motivo, as fêmea devem ser mantidas presas pela manhã até que ponham os ovos, soltando-se depois para os banhos. Os ovos colocados à beira do tanque correm o risco de ficarem com rachaduras e, assim, impróprios para a incubação.

As marrecas não chocam os seus ovos e  elas põem em qualquer lugar. Os ovos destinados à incubação devem ser lavados e guardados por 24 horas e, com menos de sete dias, colocados para chocar. Estes serão colocados em ninhos e chocados por galinhas, peruas, gansas ou patas.

Use ovos para incubação até sete dias de vida, no máximo, já que depois desse período eles vão perdendo o poder germinativo. Se usar galinhas ou patas, faça ninhos diretos no chão ou em caixotes, nos quais são colocadas camadas de palha. Coloque os ninhos em local coberto, deposite os ovos e a choca. Os marrequinhos nascerão após 28 a 30 dias de choco.

Caso use chocadeira, regule a temperatura segundo orientação do fabricante Do 3º ao 24º dia de choco, vire os ovos cerca de quatro vezes ao dia e borrife-os com água morna diariamente, para conservar a humidade.

Assim que nascerem os marrecos, coloque-os em criadeira. Pode usar uma caixa de papelão, na qual é instalada uma lâmpada de 50 watts para aquecer as aves. Suba ou desça a lâmpada, conforme a temperatura desejada. Na primeira semana, os marrecos precisam de 32 graus C, na segunda 26 graus C e na terceira 20 C. depois pode retirar a lâmpada. Não se esqueça de forrar o fundo da caixa com papelão forte. De preferência coloque caixa sobre o estrado de madeira e em local coberto.

Dê para os marrecos ração inicial para pintinhos, mas somente após 36 horas de nascidos. Humedeça a ração com água. Alimente-os também com cebola picadinha, verdura cortada bem fininho (escarola, almeirão, etc.) e ponha água limpa à vontade, trocando-a diariamente, Providencie uma vasilha com areia grossa, pois eles comerão os grãozinhos, isso ajuda na trituração dos alimentos. A partir de um mês e até 60 dias, dê ração de crescimento para aves, passando depois para ração de postura. Se dispuser de capim e outras folhagens, como alfafa, confrei, etc., forneça aos marrecos. Pode aproveitar também sobra de legumes, cereais e hortaliças.

Mantenha os comedouros sempre cheios, mas não deixe que fique sobra para a noite, para evitar fermentação. Para as aves maiores, instale bebedouros de 40 cm de largura por 5 de profundidade. E não se esqueça de trocar a água dos tanques, de vez em quando, pois eles costumam beber ali mesmo.

Os marrecos são geralmente atacados por piolhos e verminoses. Combata os primeiros com pó de fumo, Quanto aos vermes, a cada quatro meses dê ao plantel vermífugos à base de piperazina, adicionados à ração. Vacine os marrecos contra a cólera, que é a doença mais grave dessas aves.

Se os marrecos perderem o apetite, caminharem sem equilíbrio e caírem, certamente estarão com botulismo. Faça o tratamento imediato – procure um médico veterinário –, suspenda a alimentação, dando apenas leite desnatado. Coloque junto à ração das aves que não estão doentes cerca de 450 gramas por 100 quilos de ração de sulfato de magnésio. O ideal, nesses casos, é separa as aves doentes.


RAÇAS

As diferentes raças de marrecos podem ser divididas em três grupos: ornamentais, para carne e para ovos. Classificadas como ornamentais estão a Pinguim, a Anã e o Marreco Chato, entre outras. Para carne temos a Aylesbury, a Rouen e a mais criada a Pequim. Para ovos as raças são: Campbell, Orpington e Corredor Indiano, entre outras.

Não importa qual delas você escolha, é sempre preciso ter alguns cuidados. No caso dos reprodutores, por exemplo, use sempre um marreco de raça pura para a reprodução, não utilize mestiços. Aprenda a escolhê-los a partir das caraterísticas de cada raça, além disso eles devem ser fortes, vigorosos e com idade apropriada para o acasalamento.

Em geral os animais não podem ser adquiridos quando têm bicos defeituosos, assim como as asas ou a cauda. Verifique o seu dorso, não deve ser curto. Quanto à raça Pequim os animais devem ter as penas totalmente brancas, sem unhas manchadas de preto ou com a inclinação do corpo fora da posição normal.

ALZUGARAY, Domingo; ALZUGARAY, Cátia. Copyright Editora Três Ltda. São Paulo, Brasil. VIDA, Um Guia de Auto-Suficiência.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários :

  1. ola estou adorando seu blog, pois é, criar animais não e fácil, vejo que você estuda muito as especies, sendo que quando eu era criança tínhamos os bichos soltos pelo quintal, e ficava feliz da vida quando encontrava um ninho perdido , eta saudade,obrigado ines

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ines.
      A minha infância também foi passada assim, no campo, rodeado pela natureza e por muitos animais domésticos. Também adorava procurar ninhos no meio do arvoredo.
      Fico muito contente por gostar do blog. É bom ter leitores que apreciam o nosso trabalho.
      Muito obrigado.

      Excluir
  2. Eu desde pequeno sempre gostei de animais,Com 8 anos já tinha criação de galinhas, e patos no quintal da minha casa. Depois que cresci não tive tempo pra cuidar devido aos estudos, hj não moro mais com a minha família, moro sozinho, tenho tentado criar novamente comecei com galinhas mais perdi a paciência, então resolvi pesquisar os patos que são aves que eu adoro, depois de várias pesquisas cheguei até o marreco de Pequim. Estou com 6 fêmeas e 2 machos, comprei até uma chocadeira. No entanto já está chocando 15 ovos; adorei essa matéria sobre os marrequinhos, me ajudou muito!

    ResponderExcluir
  3. Quero comprar marrecos de pequim, de preferência proximo a sorocaba - SP.
    Pode me ajudar.
    Se puder, responda aqui:
    brisolaantonio@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Amigo, comprei um casal de marreco mandarim e um casal de marreco Carolina para criar sooltos nojardim da minha casa. Você sabe me dizer se os gatos são predadores desses animais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em princípio os gatos domésticos não atacam aves de médio ou grande porte. No entanto terá de ter cuidado com animais selvagens, incluindo os gatos selvagens.

      Excluir