LICOR BEIRÃO E PUBLICIDADE

Painel publicitário em plena serra da Lousã, nos anos 60.

Nos anos cinquenta, quando as tecnologias de comunicação, comparativamente aos dias de hoje, ainda eram bastante rudimentares (as emissões regulares de televisão apenas chegariam em 1957) os meios existentes para publicitar um qualquer produto eram também menos eficazes em termos de abrangência de público-alvo. Os painéis publicitários ao ar livre, hoje designados por outdoors, eram nessa altura um recurso muito utilizado e também eficaz, embora esse método tivesse o inconveniente de ser necessário espalhar os painéis publicitários pelo maior número de locais possível para que fossem vistos por potenciais interessados nos artigos publicitados.


Esse tipo de publicidade ainda hoje é utilizado, e muito, o que parece significar que, apesar de todos os meios técnicos existentes, eles ainda continuam a ser eficientes, sobretudo se o produto que oferecem se destina a clientes confinados a uma determinada área geográfica.

A primeira marca a ser publicitada em grande escala em Portugal, poderá ter sido o Licor Beirão que, em meados do século passado, colocava por todo o país os seus painéis publicitários. A marca escolhia locais estratégicos e ficou conhecida por montar os seus outdoors em estrada com curvas perigosas, o que veio a originar uma centena de processos em tribunal, uma vez que uma Lei publicada em Setembro de 1959 veio a proibir a colocação de painéis publicitários gigantes ao longo das estradas, mas a empresa recusava-se a retirá-los. Esses processos foram quase todos ganhos pelos licoristas, pois não ficou provado que os painéis constituíssem um perigo para os automobilistas ou que tivessem provocado qualquer acidente e, antes pelo contrário, os painéis diminuíam esse risco devido aos condutores reduzirem a velocidade quando os avistavam.

Recordo-me de nos anos 60 avistar um desses painéis na Estrada Nacional 236, entre a Lousã e Castanheira de Pêra, próximo da aldeia serrana do Candal, num local de grande beleza paisagística, mas muito acidentado, onde a estrada serpenteia rodeando um precipício onde, num pequeno monte, fora instalado o painel publicitário.

O painel já desapareceu há muito tempo, mas ainda
são visíveis os ferros que o sustentavam.
Ainda lá se encontram os ferros que sustentavam o painel que era, presumivelmente, de madeira. No local onde estava era muito apelativo, sendo impossível não reparar nele e, mesmo não sendo aquela uma estrada muito movimentada, atingia certamente com eficácia o objectivo de divulgação do produto. O local onde fora montado é praticamente inacessível e não deve ter sido fácil transportar para lá os materiais para a sua instalação, mas a publicidade quando é feita com originalidade tem muita força e deve ter valido a pena o esforço.

Mas o Licor Beirão, no que respeita a publicidade, e não só, tem uma longa história e o seu sucesso deve-se também, em parte, certamente à forma original com que tem divulgado o seu produto, seja através da beleza gráfica dos outdoors, de pequenos filmes televisivos, ou mesmo de frases alusivas ao produto.

Na década de 60 foi lançado um slogan bastante arrojado e que dadas as suas conotações políticas, poderia ter provocado alguma polémica, pois através de polissemia, (palavra com vários sentidos) aludia a Salazar e às suas raízes beirãs, pois este nascera em Santa Comba Dão, em plena Beira Alta. "Licor Beirão - O Beirão de que todos gostam", era o slogan, o qual, segundo relatos da época, terá agradado ao ditador, o que não era para admirar, uma vez que tinha um sentido elogioso para o mesmo.

Outros slogans foram lançados como: “Que licor, senhor doutor”; Que licor, senhor prior”; “É de todos o primeiro, senhor engenheiro”; “É de bom gosto servi-lo, é de bom gosto bebê-lo”, tendo este último causado algum escândalo pois a ele estava associada a imagem de uma majorette americana muito pouco vestida para as tradições da época. Estes slogans fizeram história na publicidade em Portugal e contribuíram para que o Licor Beirão se afirmasse, sem sombra de dúvidas, como o Licor de Portugal.

O saudoso cantor Tony de Matos, participou no primeiro anuncio do Licor Beirão em televisão, mas de então para cá muita figuras públicas têm dado a cara pelo produto, entre as quais o antigo futebolista Paulo Futre e os políticos Angela Merkel e Nicholas Sarkozy, estes últimos na campanha de Natal de 2011 do Licor Beirão, concebida pela agência de publicidade Usina, mostrando bonecos desenhados da chanceler alemã e do presidente francês com uma garrafa de Licor Beirão na mão e um cartão de boas festas.

Curiosamente, no local onde é produzido o licor não se vê, exteriormente, qualquer publicidade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário :

Postar um comentário