Plantar laranjeiras

Depois dos limões as laranjas são, talvez, os frutos que mais tempo se conservam na árvore. Para quem tem ou quer vir a ter um pequeno pomar para abastecer a despensa de casa, não pode dispensar uma, duas, ou mesmo três laranjeiras. Se é certo que apenas um limoeiro lhe dará limões para todo o ano, com as laranjas isso não acontecerá, porque, como é evidente, os limões apesar de serem muito úteis na cozinha, não são propriamente uma fruta que se consuma em abundância, pois eles servem essencialmente para temperar ou fazer sumos, ao contrário das laranjas que são uma das frutas mais apreciadas à mesa.

As laranjeiras necessitam de muita luz e, tal como os limoeiros, sofrem com as temperaturas muito baixas pelo que convém plantá-las em locais abrigados e protegidos dos ventos frios do norte, sempre que isso seja possível.


O texto que se segue foi transcrito de um livro sobre autossuficiência e é dirigido sobretudo para leitores brasileiros, tendo indicações para plantações comerciais, mas serve também para quem quer apenas ter uma ou duas laranjeiras.

No jardim, no quintal, na chácara ou na fazenda, plante laranjeiras. Elas enfeitarão o ambiente e produzirão frutos entre o 3º e o 5º ano da plantação, muito ricos em vitamina C, além de possuírem cálcio, fósforo e ferro. Com as laranjas você poderá fazer sucos, licores bolos, vinhos, doces, além de usá-las como acompanhamento de pratos salgados ou na sua composição, como o tradicional pato com laranja, ou acompanhando a tradicional feijoada. De qualquer modo, a laranja é saborosa e vale a pena esperara um pouco pela primeira colheita, pois uma laranjeira pode produzir por 20 ou 30 anos, desde que seja bem adubada anualmente e controladas as doenças e pragas.


As mudas devem ser enxertadas

A plantação de laranjeiras é feita através de mudas enxertadas, O processo de enxertia consiste em utilizar o tronco do limão-cravo como cavalo ou porta-enxerto – planta que serve de suporte e ficará na terra – e sobre ele “soldar” uma variedade de laranjeira que deve ter pelo menos uma gema. A muda enxertada é transformada em um única planta. Usa-se o limão-cravo, da família dos citrinos, porque é robusto e resistente dando força para a muda da laranjeira, que sozinha é muito sensível. A variedade é você quem escolhe, de acordo com a que vai plantar.


Para plantações pequenas, no fundo do quintal ou em jardins, adquira mudas enxertadas, de acordo com a preferência, entre as seguintes: baianinha, baía, valência, pêra, lima ou seleta. A seguir, prepare o terreno para receber as mudas, capinando bem, deixando-o livre do mato. Depois, faça covas de 40x40x40 cm, no espaçamento de 7x7 metros. A seguir, adube cada cova com duas latas de esterco de curral, adicionado 1,5 kg de calcário magnesiano. Coloque a muda e irrigue bem.

Saiba que em plantações comerciais não há retorno do capital investido até ao terceiro ano da plantação. Portanto aproveite esse período e faça consórcio com espécies de porte baixo, como a soja, arroz, amendoim e feijão. Controle bem as pragas, para não haver problemas com o laranjal e com a outra cultura.

Em pomares comerciais faça aração do terreno, seguido de gradagens. A seguir, adube de acordo com a análise do solo, para obter melhores resultados. Plante, de preferência, nos meses chuvosos. Use plantas de porte menor e faça plantio adensado. Esse tipo de plantio exige maiores gastos no início, mas possibilita retorno mais rápido. Use um dos seguintes espaçamentos: 6x2, 6x3, 6x4 ou 6x5, utilizando, respetivamente, 833, 555, 416 e 333 plantas por hectare. Um detalhe importante: compre mudas de viveiristas idóneos. Assim que tiver escolhido o espaçamento que vai usar, faça as covas com 40x40x40 cm e coloque a muda, Deixe-a crescer, ficando atento apenas para que não haja concorrência do mato.

Limpe o pomar no período seco (abril a agosto) e deixe o terreno coberto com o mato na época das chuvas (setembro a março). Faça uma coroação das plantas – chegue a terra ao seu redor – com uma enxada, para evitar que o mato roube os nutrientes do solo, próximo às raízes das laranjeiras e concorra com elas. Nas plantações maiores use roçadeira para capinar entre as linhas, fazendo capinas nas linhas com a enxada. E, no período seco, faça gradeação.

Para evitar pragas e doenças, faça podas periódicas, a cada dois ou três anos, eliminando os ramos doentes, cortando-os cerca de 30 cm abaixo das lesões. Faça também podas manuais ou mecânicas para controlar a altura das plantas e facilitar a colheita. Faça também uma poda de formação para eliminar galhos secos e os ramos ladrões.

Ainda com relação aos tratos, não se esqueça de adubar as plantas anualmente. No primeiro ano aplique em cobertura, por planta, 250 gramas de nitrocálcio, divididos em três aplicações, em agosto, novembro e em janeiro. No segundo ano coloque em cobertura 200 gramas de superfosfato e mais 50 gramas de cloreto de potássio. Do terceiro até ao oitavo ano da plantação, adube com 250 gramas de nitrocálcio, 200 gramas de superfosfato e 100 gramas de cloreto de potássio. Use os adubos fosfatados e potássicos apenas uma vez por ano, de preferência em março, aplicados também em cobertura.

A partir do oitavo ano da plantação, faça adubações de acordo com a produção do ano anterior, aplicando, por exemplo, 40 gramas de nitrogénio, 40 gramas de potássio e 20 gramas de fósforo por cada dez quilos de frutos produzidos por pé.

Dependendo do porta-enxerto que foi utilizando, faça irrigação das laranjeiras durante o período seco. Certamente, o viveirista informará sobre isso. A colheita é feita de maio a janeiro, de preferência tirando os frutos ainda tenros do pé. Mas, se preferir, eles podem ser deixados um pouco mais na árvore. Em geladeiras, podem ser conservados por uma ou duas semanas.


Pragas e doenças

De entre as pragas que atacam os pomares de laranjeiras se destacam os pulgões, cochonilhas, ácaros e moscas de frutas. Combatas as moscas de frutas com vespinhas ou faça armadilhas com garrafas plásticas, abrindo quatro furos opostos nas garrafas de 0,5 cm de diâmetro. Coloque dentro do vasilhame uma calda feita com 70 gramas de açúcar para 10 litros de suco de laranja. Pendure uma garrafa para cada 10 árvores, escolhendo galhos firmes, na altura de 1,5 a 1,8 metros, dentro da copa das árvores e protegidos do sol e das chuvas.

Para controlo dos ácaros e cochonilhas o melhor método é utilizar joaninhas, que são predadoras naturais deste insetos. Pode também pulverizar as plantas com calda sulfocácilca, dirigindo jatos diretamente para a parte debaixo das folhas e locais afetados. Combata os pulgões cortando as partes muito atacadas das plantas e queimando-as a seguir. Faça, também, armadilhas com latas pintadas de amarelo brilhante e enterradas no solo até metade. No interior das latas, coloque água e sabão. Os pulgões serão atraídos pela cor.

As laranjeiras também estão submetidas as muitas doenças, entre as quais a gomose, verrugose, fumagina, tristeza e melanose. Além de comprar mudas de boa procedência e resistentes a doenças, o produtor pode usar, contra doenças fúngicas, pulverizações com calda sulfocálcica, diluída em cinco partes de água, no inverno, e de 30 a 40 partes, no verão.


Comentários