CATAVENTO VERTICAL FEITO COM TUBOS DE PVC



Algumas das pessoas que comentam nos meus posts ou nos meus vídeos têm dito que as turbinas de eixo vertical serão melhores do que as de eixo horizontal, porque não precisam de procurar a direção do vento. Eu testei várias turbinas na minha chácara e sei que estas turbinas de eixo vertical dão menos rendimento do que as outras, mas, no caso do fim a que elas se destinem ser a bombagem de água, pode ser vantajoso construir uma turbina vertical, porque estas são muito mais fáceis de fazer…

Para fazer este cata vento utilizei tubos de pvc de 20 cm de diâmetro que encontrei numa sucata.
Para fazer a marcação do corte utilizei uma tela larga de modo a que através da esquadria conseguisse uma marcação perfeita.



Depois de feitas as marcações foi fácil obter um corte bem direito, utilizando uma rebarbadora. As pás foram também cortadas a meio no sentido do comprimento, ficando com 50 cm de comprimento.


De seguida recortei pedaços de metal galvanizado para colocar no topo dos meios tubos. Esses pedaços de metal foram colados no topo dos tubos. A espessura dos tubos (0,5cm) era suficiente para uma boa base de colagem.


Nesta imagem estou a trabalhar no tubo que irá ser a peça central do cata vento. Esse tubo já tinha um encaixe próprio que iria entrar no cubo de rolamentos,( uma peça bastante interessante, como verão mais à frente).

Nesse tubo, ou pilar central, fiz furos onde iriam entrar as barras de ferro roscadas de 1,00 m. de comprimento e 6 mm de diâmetro. Essas barras roscadas foram colocadas nos furos e fixadas com porcas ao pilar central.


De seguida marquei e fiz os furos nas pás para depois as enfiar nas barras roscadas. Usei bastantes porcas, pois cada pá levava oito porcas, que ficavam a unir as pás às barras roscadas, com bastante segurança.

Depois de aplicadas as pás, para ainda mais segurança coloquei dois arames a unir todo o conjunto de oito pás.

Tive de fazer uma alteração na torre para aí colocar o eixo da máquina de lavar, de onde tinha anteriormente extraído o bloco de rolamentos.


Agora estou a trabalhar no tubo onde irá ficar o bloco de rolamentos e onde está já aplicada uma roda de bicicleta que irá servir de polia.

Neste tubo onde ficou embutido o bloco de rolamentos fiz alguns furos e coloquei parafusos de encontro ao bloco para centralizar o bloco de rolamentos e tornar mais fácil o trabalho a seguir.


E aqui está mais uma operação delicada que correu muito bem, também. Trata-se da fixação do bloco de rolamentos ao tubo utilizando cimento, um método que tenho usado sempre com bons resultados.


Nesta imagem estou a colocar na torre o conjunto de roldanas que irão encaminhar a corda da bomba para as respetivas polias. Estas roldanas ficam seguras à torre com uma abraçadeira feita de duas peças de madeira e parafusos. De seguida coloquei o bloco de rolamentos com a respetiva polia acoplada, no eixo do tambor da máquina de lavar. Esse eixo tinha sido anteriormente chumbado com cimento no topo da torre, ficando na vertical, como é evidente, uma vez que se trata de uma turbina de eixo vertical.


Agora vou colocar o cata vento na torre. O tubo vertical que tem o encaixe que viram anteriormente irá entrar no tubo que contém o bloco de rolamentos. Isto é apenas uma primeira experiência e, mais tarde vou ter que retirar o cata vento para o pintar e fazer mais uns trabalhos nele, mas isso será feito com facilidade porque o cata-vento não é demasiado pesado e bastará puxá-lo para cima.

O cata vento já estava pronto a funcionar, mas eu quis acrescentar-lhe mais alguma coisa para que o rendimento fosse maior. A ideia foi construir uma peça que continha um orientador de vento e uma chapa de metal que, com uma determinada inclinação que defenderia as costas das pás do vento e o encaminharia para o interior das pás o que faria com que o vento que batia na turbina fosse todo aproveitado para a sua rotação. Isto seria uma grande vantagem pois impedia que o vento empurrasse a turbina para trás e ainda ia, sim, ajudar na rotação da turbina para girar para o lado certo.


Coloquei no eixo desse orientador de vento um bloco de rolamentos também do tambor de uma máquina de lavar. Esse bloco de rolamentos irá entrar na parte superior do tubo do cata vento.


Coloquei de novo o cata vento na torre e, de seguida, coloquei o orientador ou protetor de vento, enfiando o bloco de rolamentos dessa peça na parte superior do tubo central do cata vento. 


Nesta imagem é possível ver qual é o sentido da ideia. A peça protege a parte de retorno do cata vento e o vento que aí tocar irá deslizar para o interior das pás, ajudando a fazer girar a turbina no sentido correto.

O cata vento está pronto a funcionar. Chegou a elevar alguma água do poço, mas eu, devido a andar a laborar num erro há muito tempo não adotei este projeto. Estou a referir-me ao tamanho da roldana submersa e quem acompanha os meu blog e também o meu canal de vídeos vídeos sabe do que estou a falar. Este cata vento poderia funcionar muito bem com ventos moderados se eu quando construí esta turbina já tivesse “descoberto” a solução para o problema de elevar água com ventos fracos a moderados. Teria tido muito menos trabalho, mas a minha opção pelo cata vento giratório de eixo horizontal não foi totalmente errada, porque as turbinas de eixo horizontal conseguem rotações muito mais elevadas e por esse motivo estarão sempre em vantagem.


TALVEZ GOSTE TAMBÉM DE...

Comentários