17 de agosto de 2009

GERADOR EÓLICO CASEIRO

Hoje, deixando o passado um pouco para trás, resolvi vir falar-vos de um assunto bem actual, e voltado para o futuro: as energias renováveis. Este caso que vou relatar trata-se apenas de uma experiência própria de tentativa de produção de energia eólica, esperando que possa ser útil a alguém, apesar dos poucos ou nenhuns resultados obtidos, mas a verdade é que não se aprende só com aquilo que corre bem, mas também com os erros e falhas que se cometem.




Concluí recentemente a construção de um pequeno gerador eólico de fabrico completamente artesanal, aproveitando materiais de alguns electrodomésticos que já não funcionavam e se encontravam numa sucata e também um alternador de automóvel. Tinha em mente a produção de electricidade para efectuar o carregamento de algumas baterias para pôr em funcionamento um pequeno frigorífico e também um rádio, num terreno onde plantei árvores de diversas espécies e fiz algumas construções em pedra para arrumações e embelezamento do local e também um tanque para aproveitamento de águas pluviais. Esperava, deste modo, poder usufruir de bebidas frescas no verão e também ouvir música e notícias quando me encontrasse a trabalhar neste local a que chamo pomposamente de “A Minha Quinta Ecológica”.

Infelizmente, não obtive os resultados que esperava, devido principalmente à utilização do alternador de automóvel para produzir energia através do vento. É que a escolha deste tipo de gerador foi completamente errada para o tipo de máquina que construí, pois o alternador necessita de um grande esforço da turbina para fazer a rotação do campo magnético e assim gerar a energia para ser armazenada nas baterias. Creio mesmo que será completamente impossível a utilização com sucesso deste tipo de gerador numa máquina de concepção caseira, a menos que se construísse uma turbina com umas enormes pás e mesmo assim seriam necessários ventos bastante fortes e constantes devido ao esforço e à elevada rotação necessária, entre 1000 a 2000 r.p.m., no minímo, para obter rendimento do alternador, isto tudo com a agravante de na ausência de vento e, portanto, sem rotação do gerador, este estar a receber a corrente de excitação vinda das baterias, consumindo energia das mesmas, a menos que se construísse um sistema automático para desligar as baterias do alternador quando isso acontecesse, o que me parece bastante difícil.

De facto, não imaginava que este tipo de gerador, que rodava com bastante facilidade estando desligado das baterias, iria ficar tão “pesado” quando iniciava a produção de energia, o que revela a minha falta de conhecimentos do assunto, mas também devido a alguma informação que tinha e que me dizia que o alternador era o tipo de aparelho ideal para este tipo de aerogerador.

Apercebi-me da realidade quando, devido à falta de resultados positivos com o aparelho, resolvi construir uma máquina para fazer rodar o alternador que era, neste caso, movido utilizando uma bicicleta estática que fazia com que o aparelho atingisse mais de 1000 r.p.m., pois esta engenhoca tinha um sistema de multiplicação de velocidades, através de correias, mas era necessário também que se pedalasse com um ritmo bastante elevado. Foi assim que pude constatar a força que era preciso empregar para fazer rodar o alternador quando este iniciava a produção de energia.

Com esta máquina conseguia injectar alguma carga nas baterias, mas acabei também por desistir dela, apesar de aqui ter a vantagem de fazer um exercício físico de que gosto muito, que é pedalar. Mas gosto de praticar esse exercício na estrada em contacto com a natureza e não desta maneira, pois tornava-se bastante monótono, e era também um pouco violento devido ao ritmo da pedalada que era necessário aplicar ao sistema.

Está nos meus planos modificar o aerogerador, substituindo o alternador por um aparelho de outro tipo, pois acho que é pena estar sem utilidade, pois foi construído de forma robusta, pronto para aguentar ventos fortes, tendo utilizado materiais resistentes não só ao vento mas também à corrosão, como foi o caso das pás que foram feitas com chapa inox bem ligadas ao veio do rotor e unidas através de arame zincado de 5 mm. O veio do rotor e o volante da correia foram extraídos do tambor de uma máquina de lavar, estando os rolamentos do veio em perfeitas condições. O aerogerador assenta num sistema giratório, em cima de um tubo com 25 cm. de diâmetro que foi cheio com cimento armado, tendo no topo uma espécie de sistema de escovas, o que faz com que o aparelho gire lateral e livremente em cima do tubo, passando a corrente para baixo, através de um cabo, livre de torções. Todo este sistema está implantado na cobertura de uma pequena casa de pedra, não muito alto, mas mesmo assim recebendo ventos que fazem girar a turbina a grande velocidade, estando desligado das baterias.

Foi este aparelho que era impulsionado com uma bicicleta de ginástica ligada por uma correia ao volante mais pequeno, que está situado junto ao volante maior, para conseguir uma multiplicação da velocidade de rotação do alternador, que me fez concluir que era impossível obter rendimento do aerogerador, devido ao grande esforço exigido para a rotação do campo magnético do alternador.

Neste vídeo, apesar de na altura o vento não ser muito forte, pode ver-se como a turbina gira, estando o alternador desligado da corrente de excitação.




52 comentários :

  1. Foi com muito gosto que recebi a sua visita no meu site e não hesitei em aceitar o seu convite para visitar este blog. De facto, a manutenção do gosto pela escrita e pela leitura é também a minha motivação. Só lamento a escassez de tempo para dedicar à manutenção e crescimento do site!
    Gostei muito do seu blog. Parece-me esteticamente muito agradável e uma interessante partilha de experiências de vida.
    Em relação a este projecto de gerador apraz-me dizer-lhe que também eu ando a trabalhar num similar, pelo que teremos muito que conversar durante o próximo ano! Isto se eu ficar destacado na Lousã porque estou COLOCADO em Poiares mas pedi destacamento... Saber-se-á aina esta semana!!
    Um abraço e até qualquer dia!

    ResponderExcluir
  2. Amigo José Alexandre
    Agradeço a visita ao meu blog sobre Abril. Pela idade passamos os dois pelo mesmo, vivemos aqueles dias com uma intensidade que só nós conhecemos.
    Outra coisa que me chamou a atenção, foi o cabeçalho do teu blog. Eu trabalho na Gulbenkian, e andei com uma Biblioteca Itenerante, como a que mostras na foto. Primeiro em Castelo Branco e depois na Guarda, até à sua extinção.
    um abraço. Vou voltar mais vezes.
    Victor Gil

    ResponderExcluir
  3. Amigo, quando ao peso do alternador para o girar, procure alternadores mais modestos e pequenos, de carros mais antigos tipo dos e 35 Amperes, faça uma boa revisão e tente aumentar o tamanho da polia que fica no eixo da máqina para ajudar na força. Bem, seria isso que faria, se o estivesse no projeto.

    ResponderExcluir
  4. ola colega. parabens pelo seu grande trabalho. tambem sabia que o colega e um bom poeta. miquelina

    ResponderExcluir
  5. na parte do alternador o desmonteo e no lugar da sua parte movel que tem fios o modifique colocando imãs permanentes de neodimium assim ele ficará bem mais leve para ser girado pelas suas pas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. como adquiriu os ímãs? e retirou a bobina do eixo do alternador, ou seja o rotor?

      Excluir
  6. ola amigo tambem sou amigo das invençoes caseiras,foi-me parar a mao um aerogerador com cerca de 60 anos mas infelismente esta incompleto funciona mas nao consigo encontra fotos para poder conpleta-lo se me podesse ajudar agradecia.1 abraço enunca desista
    mcanivete

    ResponderExcluir
  7. QUEM E GENIO FAZ E O RESTO BATE PALMAS FRAM

    ResponderExcluir
  8. Amigo, procure no forum NOVA ENERGIA, na parte de eólica você encontrará um projeto do usuário Josenir, que mostra como fazer alterações no alternador para que funcione sem excitação externa e sem peso para o iníco da carga.

    ResponderExcluir
  9. Agradeço a todos os que aqui têm deixado comentários tentando ajudar. Logo que possa irei retomar este projecto, no entanto, estou indeciso quanto à melhor solução: a modificação ou substituição do alternador? Espero continuar a receber as vossas opiniões.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem vídeos que ensinam a fazer a alteração do alternador em casa, usando ímãs, para transformar um alternador num legítimo gerador.

      Excluir
  10. Amigo use aquele motor de 127 ou 220 VDC, 5A usado nas passadeiras rolantes de ginástica, eles são muitos boms.o aproveitamento e exelente.
    apartir de um leve giro ja se tem corrente, isso se deve porque ele ja vem com imas internemente .

    ResponderExcluir
  11. meu primo.se nao estou enganado o alternador fecha o campo magnetico com 800rpm entao desmonte o rotor e adapite imas de microondas bem centralizado observando os polos deles.arme o rotor.como ele ja esta magnetizado e nao precisa ser ecitada as escovas serao descartada.se nao obtiver o efeito desejado use a sua boa criatividade seguindo essa mesma linha.deraldolopes@ymail.com

    ResponderExcluir
  12. eu tambem compartilho do seu sentimento de que o alternador de carro seria a melhor opção....
    por outro lado ja li varias vezes que o alternador fica pesado quando começa a gerar energia.

    tenho uma sugestão, que talvez seja facil de implantar e fazer os testes, se voce reduzir a tensão da bobina de campo utilizando aqueles pequenos transformadores ligados na energia eletrica, e ir aumentando a tensão na medida que a velocidade aumente, acredito que o sistema vai ficar leve e ao mesmo tempo servirá para controlar a velocidade das pás.
    a bobina de campo consome pouca energia (eu acho) portanto pode ser alimentada pela energia eletrica, pelo menos a prinicipio para se fazer alguns testes.
    me mande algum comentario sobre possiveis evoluções um abraço - djalma - d.pian@hotmail.com

    ResponderExcluir
  13. O SEU GERADOR E UM QUE CONSTRUI TAMBEM NAO FUNCIONAU PORQUE O ALTERNADOR NECESSITA DE PELO MENOS 1400 RPM E NA HELICE NAO SE CONSEGUE ESSA PROESA E MUITO DIFICIL. NAO ADIANTA TAMBEM FAZER SISTEMAS DE REDUCAO DE UMA POLIA MAIOR TOCAR OUTRA MENOR PORQUE ONDE HA VELOCIDADE O VENTO NAO TEM FORCA PARA TOCA LA, ENTAO OQUE EU VOU ESTUDAR E SUJIRO E TRABALHAR COM GERADOR DE BAIXO RPM ....FRAN .

    ResponderExcluir
  14. Amigo, você não errou. O que as empresas de energia eólica não divulgam são os cálculos das hélices, área, tamanho e relação velocidade e força no cálculo das polias e eixos de transmissão. Estude e calcule a dimensão da hélice, pois, aumentando a área e a dimensão, haverá melhor aproveitamento da força do vento. O caminho é esse. Tem que se calcular a dimensão do projeto baseando-se no gerador e não o contrário, ou seja, você pode mudar a dimensão da hélice, mas não pode modificar as características do gerador.

    ResponderExcluir
  15. Para complementar, você tem que estudar o potencial eólico do lugar onde você está. Estudar o melhor local para a colocação da turbina. Se você estiver em um vale, tente aproveitar o princípio Venturi, que acelara a força do vento. Enfim, vários dados devem ser levados em conta na execução do projeto. O que todos devemos fazer é sim, livrarmo-nos de uma vez por todas das absurdas taxas cobradas pela energia elétrica em nosso país. Falo do Brasil. Abraços e obrigado por dividir seus conhecimentos e experiências. Pesquisa é algo caro. Você precisa tentar e tentar várias configurações para conseguir a melhor eficiência. Por isso, suas informações são importantes, para que outros não cometam os mesmos "erros". Muito Obrigado e Parabéns.

    ResponderExcluir
  16. Mais uma vez agradeço a todos os simpáticos visitantes que aqui têm deixado as suas opiniões.
    Em relação aos dois últimos comentários, quero dizer que tem toda a razão e as pás foram mal dimensionadas para o tipo de gerador utilizado (alternador de automóvel).
    Quero também dizer que não está só na opinião de que devemos combater as altas taxas cobradas pela energia elétrica, pois não é só no Brasil que isso acontece. Em Portugal passa-se o mesmo e com tendência para piorar.
    Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. caro amigo,o alternador por si só não gera corrente,tem que ter uma bateria ligada em paralelo,mas com uma lampada de carro e diodos,numa das pontas de ligação....melhor será um motor de cc...

      Excluir
  17. Estive aqui e gostei do que vi!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
  18. As observações produzidas estão corretas, mas, eu acrescentaria mais um fator bastante significativo
    Há que considerar a prisão magnética do alternador
    Este,só arrancará com ventos elevados. "Falo por Experiência propria"

    ResponderExcluir
  19. Mais uma opinião de leigo na matéria (espero que contribua para melhorar).
    -Quanto ao alternador poderá não ser o mais eficente, mas neste caso parece ser um dimensionamento incorreto da hélice, pois o alternador produz muitos amperes, neste caso ou reduzir a potencia do alternador ou aumentar a hélice. (prever um dipositivo centrifugo que ligue o alernador apenas quando houver rotação util).
    -Quanto à hélice, pelo que tenho visto a mais eficiente é com 3 pás, no entanto pela observação da foto as pás não parecem ter o perfil correto uma vez que a inclinação no estremo das pás parece ser o mesmo que no interior, embora a velocidade angular seja a mesma, um ponto da pá percorre mais espaço quanto mais afastado do centro estiver logo para delocar a mesma quntidade de ar precisa menos inclinação.
    Resumo: aumentar a eficiencia da hélice e reduzir a ptecia do alternador deve ficar 5 estrelas

    ResponderExcluir
  20. É verdade que as pás da hélice poderiam ser redimensionadas, ou melhor, poderiam ser substituídas por outras com um perfil diferente e maiores, mas mesmo assim acho que não resultaria, dadas as características do alternador. O melhor será, talvez, substituir ou modificar o alternador.
    Porém agora não tenho tempo livre para dedicar ao gerador, mas vou lendo com gosto todas as opiniões aqui deixadas. Elas são muito úteis para quando puder voltar a trabalhar no projeto.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  21. OLA tudo bem gostei muito desse seu projeto pretendo fazer um igual em casa por isso peço incarecidamente que me mande uma copia desse seu projeto ou mesmo as partes de como montar tudo pois onde moro venta muito e seria de boa ajuda transformar tudo isso em energia! DESDE ja muito obrigado e parabens ps; MEU MSN TRBXADREZ@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  22. Ola inventor não sou técnico em nada mas tenho boas idéias,se vc com este seu invento conseguir rodar com plataforma pesada, logo não precisaria de tanta velocidade do vento,seria igual ao volante motor do carro,manteria rotação com pouco vento.

    ResponderExcluir
  23. Constantino - Grândola ....

    Olá muitos parabéns por todas essas ideias que foram aqui mostradas, gostei muito de ler todas elas e aprendi mais alguma coisa ao lê-las, para além de eu também já ter construído um gerador, com três pás em pvc e com um motor de uma máquina de lavar roupa muito antiga, o motor é de 125 v com imãs, já esteve em funcionamento, mas agora estou a modificar para pôr umas pás maiores e um alternador, espero melhores resultados.
    Muitos parabéns a todos continuem a dar dicas interessantes, todos nós aprendemos com as ideias de cada um.

    ResponderExcluir
  24. Ola a todos.
    Infelizmente os amigos não terão sucesso neste projeto, se continuarem as tentativas com "Alternadores".
    Estes aparelhos necessitam de muitos "HPs" para gerarem alguma energia, e também uma rotação minima para exitação dos campos.
    Aqui na minha região, (Sul do Brasil) usava-mos muitos geradores eólicos, mas todos com "Dinamos" e não alternadores, visto a menor potencia e rotação necessárias para produzir alguma energia.
    Penso que se canalisarem os estudos em cima destes outros aparelhos, (Dinamos) ai sim terão algum progresso.
    Espero er contribuido.
    Sucesso.
    Abraços a todos.
    Douglas

    ResponderExcluir
  25. Acrescentando.
    Tentem com um Dinamo de WolksVagem, facilmente encontrado em sucatas.
    Abraços.
    Douglas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se tirarem o regulador de carga o alternador começa a gerar energia com poucas rotaçoes

      Excluir
  26. Ola .Fiquei encantado com o blog, sou amante de eletronica e admiro o uso de energias autosustentaveis, inclusive estou a procura de ideias para aos poucos soma-las e produzir algo neste sentido.
    Parabens a todos !

    ResponderExcluir
  27. Experimente com um dínamo de carro, recordo-me que as viaturas mais antigas usavam dínamos e não os actuais alternadores, embora os dínamos geralmente fossem utilizados em baterias de 6v, acredito que seja possível (também)aproveitando o chamado gerador, por exemplo: um pequeno gerador a gasolina ou diesel, ao retirar o motor a combustível e aplicar as pás heólicas, talvez haja essa posibilidade de dar resultados e nesse caso além de ser mais silencioso evitar também o consumo de combustível criando assim algo autosustentável, amigo do ambiente e económico na produção de energia.Força, é preciso tentar e conseguir resultados isso é o que faz qualquer inventor, a inventar se aprende...

    buldoozerD8@hotmail.com Dias

    ResponderExcluir
  28. Boas, acabei de montar num alternador o sistema com ímanes neodímio, só que não estou a ver o vento a fazer rodar com a força dos ímanes? será com essa poli da maquina de lavar fica mais leve? Eu ainda não cheguei à estrutura e pás, sinceramente acho que nem vou fazer porque não vai dar resultado, vou optar pelo um circuito fechado alimentando um motor de uma maquina de lavar que por si com correia vai ao alternador sai do mesmo corrente alternada mete-se uma ponte de retificação e vai passar pelo o regulador de tensão a 14,4v que vai carregar a bateria de 12v, da mesma vai ao conversor 12v - 220v que de seguida vai ao motor da maquina de lavar, o único problema é quando está desligado descarrega a bateria. Mas de qualquer maneira em principio é o que vou fazer, a não ser que alguém me diga como é que a força do vento vai fazer girar as pás com a força que os ímanes estão a fazer? Cumps

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A polia da maquina de lavar faz aumentar as rotações do alternador, mas tem o inconveniente de o tornar mais pesado, Um alternador de automóvel não é melhor opção, mas nos comentário deste post e também no outro com o título "Gerador eólico com alternador de automóvel", estão algumas dicas que o poderão ajudar.
      Os meus cumprimentos

      Excluir
  29. Olá amigos! de facto estou surpreendido com o que acabei de ler. Sou tecnico de Hardware com poucos conhecimentos de electrotecnia, contudo, uma vez que vivo numa casa com um terraço elevado e vntos fortes, já algum tempo que ando a pensar em fazer um gerador. Também pensei num alternador de carro, até adquiri um de um Honda concerto, mas tenho de reconsiderar. Vou procurar mais algumas ideias e vou lendo aqui o blog. Quem sabe se todos juntos fazemos algo viável. Não desistam da ideia.

    ResponderExcluir
  30. ola pessoal, boa tarde estou disposto a fazer um cata vento igual a esse tive estudando e um eletricista me falou sobre alternador da sprinter de 150 amperes esse alternador é eletronico com pouco giro ele consegue mandar 12v. tranquilo daí ponho uma bateria de 80amp. faço a instalação de casa 12v de led que gasta pouca energia a ainda posso ligar uma tv 12v de dele, os mesmos que os caminhoneiros usam,a ainda posso ligar um transformador para 110v e ligar algum aparelho de casa!!! e aí pessoal será que vai funcionar bem (com vento é claro) ou vai ter algum problema!!! me dem ideias !!!!

    ResponderExcluir
  31. Prezados amigos, li quase todos os comentários sobre geradores eólicos e gostaria de comentar o seguinte: os geradores de veículos sejam 12 ou 24 Volts não se prestam a geradores eólicos por dois motivos. Um é a rotação insuficiente para excitar e criar o campo magnético inicial necessário à geração de energia, o outro é o peso a ser vencido (torque) ao se iniciar a geração de energia, principalmente se a bateria a ser carregada estiver "vazia". Para se conseguir exito num gerador com essas dimensões, seria necessário a utilização de imãs permanentes de neodímio que tornaria possível o funcionamento desse sistema. Caso alguém se interesse por um projeto desse tipo, pode me mandar um mail para doutorsplit@gmail.com - tenho todo o projeto e mando para quem queira sem nenhum ônus.

    ResponderExcluir
  32. Eu acho que a rotação exigida para a produção de energia se pode conseguir através de um sistema de multiplicação de velocidade por correias, eu construí uma maquineta a pedal onde consegui isso, no entanto, através do vento é capaz de ser impossível devido à força que é necessária. Talvez com umas pás com um diâmetro elevado se consiga, mas para isso seria necessária uma estrutura muito forte, para aguentar a força do vento e por questões de segurança.

    ResponderExcluir
  33. Li o que pude em vários sítios. Antes de avançar com o meu ambicionado projeto, entendi que preciso de encontrar o motor eficiente e viável. Julgo ter concluído que o aconselhável seria um motor de magnetes permanentes, corrente contínua acima de 18 V a uma rpm no máximo 25 vezes superior – multiplicações de rotação não me parecem muito práticas -- e acima de 5 Amperes. Em dois reparadores de passadeiras não vi nada parecido, em casas de bicicletas também não obtive pistas, dos velhinhos "ametek" nem sombra, no comércio de Lisboa, idem... Alguém me ajuda a definir e encontrar o motor aconselhável? Bem hajam.

    ResponderExcluir
  34. Ola amigo,meu nome é Eduardo,e acredito que tenho um motor que seria bem interessante para esse fim.a referencia dele é o sequinte:motor eletrico cc,24v 250w e 10 amperes.Voçê pode ligar o catavento com esse motor diretamente em nobreak de 24v que tem duas baterias internas e que poderia ligar varios aparelhos sem a necessidade do nobreak ficar ligado na tomada.Para maiores informações o meu email é: eduardosilva1210@hotmail.com

    ResponderExcluir
  35. Caro José Alexandre.

    Vivo em Albufeira mesmo defronte ao mar e experimentei um gerador eólico semelhante, que funcionou. Conseguia produzir energia suficiente para carregar uma bateria de 65ah. Usei simplesmente uma roda de bicicleta 26" uma correia passando pelo aro e ligada a um alternador de um Fiat Uno. Acoplei somente 3 pás de abas largas, construídas em chapa zincada, de 1,20 m à roda. Os ventos de mais de 10 km/h conseguiram fazer com que a energia fosse produzida.
    Como o protótipo fora feito em chapa um tanto fina os ventos fortes retorceram minha pás completamente, destruindo tudo. Desde há 20 meses uma artrite reumatóide me tem impedido de reconstruir o gerador com ele deve ser. Quero experimentar um cata vento vertical, com o corte de um bidão de 100 litros, no sentido vertical, de forma a soldar as metades em posições invertidas.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Hilton Silva.
      Quando comecei com as minhas experiências para produzir energia eólica, cheguei a construir uma pequena turbina de eixo vertical que girava acoplada diretamente ao veio de um alternador, mas a velocidade de rotação era pequena, pelo que acabei por desistir desse projeto. O sistema vertical apresenta algumas vantagens, como não necessitar de orientador e, portanto, precisa apenas de uma parte móvel. Outra vantagem reside no facto da energia poder ser transportada para baixo diretamente por um cabo, sem sistema de escovas ou de outro método qualquer, contrariamente ao que sucede no gerador de eixo horizontal devido à rotação para procurar a direção do vento.
      O grande inconveniente parece ser mesmo a velocidade de rotação reduzida da turbina de eixo vertical, mas tudo dependerá do tipo de alternador a utilizar.
      Desejo as melhoras para o seu problema de saúde e boa sorte para o seu cata vento vertical.
      Um abraço.

      Excluir
  36. OLA tudo bem gostei muito desse seu projeto pretendo fazer um igual em casa por isso peço incarecidamente que me mande uma copia desse seu projeto ou mesmo as partes de como montar tudo esse e meu email wilker.wilker89@gmail.com
    fico agradecido e parabens pelo projeto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro visitante
      Não tenho planos do projeto, pois ele é totalmente artesanal e foi construído aproveitando materiais aproveitados de sucatas. No texto do artigo está mais ou menos descrita a forma como procedi e os materiais que utilizei.

      Excluir
  37. marcelino silveira de sousa3 de junho de 2013 13:24

    prezado amigo , gostei muito do seus inventos , gostaria de saber se no cata vento teria como adaptar um bomba d'agua e se vc faria e principalmente se colocaria a venda e preço. desde ja agradeço.caso sim favor entrar em contato, e mail - marcelinosilveirasousa@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo Marcelino, este catavento não foi idealizado para uma bomba d'água, mas é possível fazer isso num catavento projetado para esse efeito, aliás, tenho em mente construir um para mim, mas nunca o faria para vender. Há empresas que fabricam essas máquinas, tudo depende da finalidade e das necessidades de cada um. Dê uma vista de olhos a este post: http://meioseculodeaprendizagens.blogspot.pt/2011/09/moinhos-de-bombagem-de-agua-tipo.html
      Um abraço.

      Excluir
  38. gostei de mais do que vi certo grato...
    emeio :antonyprates01@hotmail.com

    ResponderExcluir
  39. Olá meu nome é Mario Lúcio, sou técnico em eletrônica avançada, tenho algumas Apostilas de curso na internet, www.cursos-wr.com. Meu objetivo aqui não é de jeito nenhum fazer propaganda até porque quero muito deixar a área de Games para ingressar de vez na de: energia elétrica alternativa, desenvolver alguns projetos que tenho, gostaria de compartilhar minhas ideias com as pessoas membros desse Blog, vejo que estão focados no mesmo objetivo, isso despertou-me interesse. Mas vamos ao que interessa: o projeto de geração de energia elétrica que na minha opinião é o mais viável é: gerador eletromotriz movido por motor a explosão (gasolina). Sei que vocês logo pensarão, a autonomia é inviável por causa do consumo de combustível x horas de geração de energia elétrica, ai que entra meu projeto, já fiz alguns testes na geração de combustível tirado da água que me deixou animado, na internet tem muitos videos de projetos que são verdadeiras maravilhas, e com certeza isso se torna viável o uso de gerador industrial para produzir energia elétrica sustentável. Essa é minha visão deste projeto, gostaria muito de receber respostas de pessoas que tem experiencia, e também de pessoas que querem discutir isso em termos técnicos. espero ansiosamente resposta e parcerias para desenvolvimento desse projeto. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mário Lucio.
      Como autor deste blog e também do projeto de que trata este artigo, venho agradecer este interessante comentário, ficando à espera que ele receba muitas respostas. Pela minha parte não posso entrar numa discussão muito aprofundada sobre o assunto por falta de conhecimentos, mas certamente que não faltarão leitores interessados no tema que é bastante pertinente.
      O sucesso de um projecto nos moldes que apresenta no comentário parece, à primeira vista, um projeto polémico, com pouca viabilidade, mas... quem sabe se não surgirão aqui ótimas e inovadoras opiniões...
      Um abraço.

      Excluir
  40. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  41. Olá sr. José Alexandre; Meu nome é Leandro Ferre e creio que talvez esteja contra-enganado ou concluir que um alternador de automóvel não dê para usar como gerador eólico; A produção de energia alternativa é o meu grande desafio; e já fiz muitos ensaios com alternadores; realmente quando se alimenta o rotor, fica pesado; mas se fizer um cata-vento com menos pás terá maior velocidade; vi que fizeste um polia maior tocando a polia menor do alternador, isso dará velocidade porém exigirá mais força da turbina; li seu blog e percebi que tenho idéias parecidas com as suas tenho uma propriedade na fronteira da sociedade e pretendo elaborar um sistema independente; usando cata-vento para mover agua e iluminação; lenha para geração de energia e calor; tudo com alternadores e também aproveitarei toda a agua dos telhados para armazenamento hídrico. Um Abraço e até breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, caro Leandro. Obrigado pelo comentário.
      Acho que o alternador de automóvel não é o melhor tipo de gerador para a minha turbina. Tenho andado à procura de um motor que sirva de gerador e que produza energia a baixas rotações para lhe aplicar. Também já pensei em fazer umas hélices maiores, mas desisti da ideia porque seria uma pena não dar uso aquela turbina que foi construída de forma muito segura, apta a aguentar ventos fortes e durável, pois as hélices e os restantes materiais são anti-ferrugem.
      De qualquer maneira é um projeto que tem estado em "banho-maria", porque tenho andado envolvido com outros trabalho na minha chácara, trabalhos entre os quais se incluiu uma cabana de troncos, que concluí recentemente. Espero voltar ao projeto gerador eólico em breve.
      Um abraço e boa sorte com os seus projetos!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...