OS MEUS NAVIOS

Quando, há cinco ou seis anos atrás, iniciei as minhas aprendizagens com as novas tecnologias de informação e comunicação e, perante a imensa vastidão de coisas novas que tinha pela frente, tão diferentes daquilo a que estava habituado, estava longe de imaginar que poderia vir a ter um blogue na Internet, pois até as coisas mais simples me pareciam enigmas complicados.

Quando se inicia um novo projecto surgem sempre muitas dificuldades que, com o correr do tempo e com persistência, se vão vencendo e aquilo que parece irrealizável acaba por estar perfeitamente ao nosso alcance.

Recentemente descobri a forma de produzir filmes utilizando fotografias e pequenos vídeos adicionando-lhes uma música de fundo. Já costumava utilizar o PowerPoint, para fazer apresentação de diapositivos, mas esses trabalhos não saíam do computador, ao contrário do que acontece com estes pequenos filmes que podem ser enviados para o Youtube ou para outro serviço de hospedagem e depois serem vistos pelo público em geral. Tal como acontece com os textos que escrevemos, em que se deseja que possam ser lidos pelo maior número de pessoas possível, o mesmo acontece com os vídeos: queremos que sejam vistos por muita gente, senão não fazia qualquer sentido estar a escrever ou a produzir imagens. Pelo menos é o que eu penso.

Já aqui falei dos meus navios, pequenas naus ou caravelas que construí utilizando madeira de móveis em fim de vida, uma actividade que desenvolvi durante algum tempo, inspirado nos meus sonhos de juventude e na minha passagem pela Marinha de Guerra Portuguesa.

Foi um trabalho apaixonante, que terminou devido aos muitos afazeres profissionais e pessoais, porque era uma actividade que exigia muito tempo disponível e também porque queria iniciar outros projectos.

Com este pequeno filme pretendo mostrar os meus navios de uma maneira diferente e também homenagear de alguma forma todos os que se dedicam a esta actividade artesanal, que para quem gosta do mar e admira a História de Portugal, tão ligada a navios, é muito gratificante.

Inicialmente tinha inserido no filme, como música de fundo, o tema “Ao Passar um Navio”, dos Delfins”, mas este foi bloqueado pelo Youtube, devido a direitos autorais relacionados com a música, pelo que fui à procura de um tema que pudesse utilizar livremente, já que os meus trabalhos na Internet, não têm qualquer fim comercial. Assim, encontrei no site "http://dig.ccmixter.org/”, que disponibiliza músicas abrangidas por uma licença Creative Commons, o tema Polaroid Lucid Dream (Polaroid Sonho Lúcido), por Veneklaas Geert, uma música muito bonita, mas, claro, teria preferido uma música portuguesa, como é evidente, mas compreendo perfeitamente, que todos os direitos autorais devam ser respeitados e, por isso mesmo, é que procuro colocar no “Meio Século” apenas conteúdo original ou então devidamente autorizado.



Comentários

  1. Olá caro amigo! Como já havia dito antes, e aproveito a oportunidade para reafirmar, voce é modesto! Seus trabalhos são lindos, verdadeiras obras de arte , navios miniatura tão bem feitos ... muito bonitos!!
    Gostei do vídeo , e concordo com voce sobre as utilidades desses dispositivos, a internet esta cada vez mais interessante para quem sabe dela tirar bom proveito.
    Beijinho e parabéns pelos trabalhos!

    Cintia

    ResponderExcluir
  2. Ah ´serio que o meu comentário sumiu? :(

    No meu blog também tinha sumido a minha última publicação.. mas ela retornou assim como a sua, pois estou a ve-la!
    Mas, então quero registrar que gostei muito dessa publicação porque nela voce mostra um dom muito bonito que voce tem, a criação.. lindo trabalho !!
    Parabéns!!
    E obrigada por compartilhar com os amigos sua arte, gostei muito de conhecer seus navios.
    Tenha um ótimo final de semana e, aproveite o bom tempo para tirar fotos interessantes e contar as histórias dos lugares, como voce sempre faz tão bem!
    beijinho da amiga,
    Cintia

    ResponderExcluir
  3. Amigo Joalex
    Os meus parabéns pela sua arte de construtor naval.
    Gosto de todo o tipo de navio,seja qual a função para que foi construido,mas a minha preferência são os navios de guerra portugueses,bem como navios de guerra de outras marinhas desde que sejam antiquissimos
    Claro que também gostei destas réplicas de antigos navios,são a sua forma singela de homenagear os antigos marinheiros,foram gerações de história hoje totalmente esquecida,e até esquecida pela actual marinha, mas a minha preferência continua a ser as suas "Naus de Pedra"
    Abraço
    Moleiro

    ResponderExcluir
  4. À amiga Cintia agradeço a sua prontidão em rafazer o comentário que desapareceu, o que muito me honra.
    Ao meu amigo e camarada marinheiro António Moleiro, quero também agradecer as suas palavras e dizer que acho curiosa a sua preferência pela minha Nau de Pedra, mas isso dá-me a certeza de que é um trabalho também com valor, o que me dá alento para no futuro tentar fazer outras do mesmo género.
    Um abraço aos dois.
    José Alexandre

    ResponderExcluir

Postar um comentário