A CRUZ DA ORDEM DE CRISTO



A Cruz da Ordem de Cristo tem sido desde a época dos descobrimentos um dos mais importantes símbolos nacionais, embora a sua origem seja ainda mais remota. A cruz vermelha de hastes simétricas, com uma cruz branca sobreposta, era o símbolo da Ordem Militar de Cristo, fundada por D. Dinis em 1317, na sequência da extinção da Ordem dos Templários.

Com efeito a Cruz de Cristo, adornava as velas das caravelas que exploravam os mares desconhecidos e durante o reinado de D. Manuel, devido à intensa actividade marítima, a bandeira da Ordem de Cristo foi frequentemente usada como pavilhão naval português, pois esta era grande Ordem ligada às viagens de expansão.

Hoje em dia não se pode falar na Cruz de Cristo sem que nos venha à memória o navio escola Sagres, com as suas imponentes velas brancas, onde essa cruz pintada de vermelho mantém viva a recordação do período épico dos Descobrimentos. Esse símbolo foi usado pela primeira vez nas caravelas da Armada de Pedro Álvares Cabral e daí em diante todas as velas das naus e caravelas portuguesas dos descobrimentos, as ostentaram. Agora, as velas do N.R.P. Sagres mantêm essa tradição, sendo o suporte mais visível desse símbolo, embora a Cruz de Cristo esteja desenhada também nos aviões da Força Aérea e presente em muitos outros locais, como monumentos, quer sejam de origem religiosa ou não.

A região Autónoma da Madeira tem a Cruz da Ordem de Cristo na sua bandeira, aludindo ao facto de ter sido descoberta por dois cavaleiros dessa Ordem Militar, pertencentes à casa do Infante D. Henrique: João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, sendo o símbolo de ligação à República Portuguesa.

A bandeira da Ordem de Cristo foi também o primeiro símbolo do Brasil e hoje existem muitos municípios brasileiros que possuem a imagem da Cruz na sua Bandeira ou no seu Brasão. Algumas vezes a imagem é estilizada e modificada, não correspondendo ao formato original da Cruz da Ordem de Cristo. Também a Seleção Portuguesa de Futebol e a Seleção Brasileira, bem como o Club de Regatas Vasco da Gama ou o Clube de Futebol "Os Belenenses" possuem a imagem estilizada da Cruz da Ordem de Cristo nos seus símbolos.

Voltando ao navio Sagres, que é considerado um dos mais belos veleiros do mundo, são as cruzes das velas que o distinguem como único e inconfundível entre todos os navios que cruzam os mares utilizando o vento para se deslocarem. Possivelmente, durante a epopeia dos Descobrimentos, as imponentes cruzes desenhadas nas velas dos navios impressionavam os inimigos e os navegantes de outros países. Elas indicavam a grandeza e o poderio que Portugal naquela altura tinha e mesmo que hoje já não seja assim, não deixam de impressionar, pois os ventos da História ainda não se extinguiram e continuam a soprar nas velas da Sagres.

As cruzes de Cristo têm um misticismo muito próprio e talvez por isso sejam adotadas para símbolos de Organizações onde se espera que elas sirvam como incentivo à coragem e esforço pela vitória.

Mas, na realidade, a cruz da Ordem de Cristo, não é uma, mas sim duas cruzes.

A cruz de Cristo é uma derivação da cruz da Ordem dos Templários, ou Ordem do Templo. A cruz da referida ordem era uma cruz vermelha de braços abertos:



Quando a Ordem do Templo, foi perseguida em toda a Europa, o rei em Portugal mandou que se verificasse se havia algo a apontar à ordem, e foi determinado que os cavaleiros da Ordem do Templo em Portugal estavam inocentes.

Posteriormente, como sabemos, a Ordem dos Templários foi extinta, mas em sua substituição foi criada em Portugal a Ordem de Cristo.

O símbolo da Ordem de Cristo é a mesma cruz vermelha de braços abertos, sobre a qual foi colocada uma cruz grega.


A cruz grega é uma cruz branca, e é na cristandade sinal de inocência ou pureza.

O rei mandou colocar uma cruz branca em cima da cruz da ordem de Cristo.


A mensagem era simples:

Estes são os cavaleiros do templo (cruz vermelha de braços abertos) que estão inocentes (cruz grega colocada em cima da vermelha).

É daí que nasce a cruz da Ordem de Cristo que conhecemos.

Fonte do texto a itálico e das imagens das cruzes: 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário :

Postar um comentário