SEMEAR E COLHER FAVAS



Finalmente consegui fazer a minha primeira sementeira de favas deste ano. Normalmente faço esse trabalho mais cedo, mas os sábados, único dia que tenho disponível para os trabalhos agrícolas, têm estado chuvosos e esse trabalho tem vindo a ser adiado. Também, diga-se em abono da verdade, que mais semana menos semana não faz grande diferença e as favas aparecem quase na mesma altura, pois a planta brota da terra, mas, devido ao frio, mesmo sendo a fava uma planta resistente às geadas, só no inicio da primavera é que se começa a notar mais acentuadamente o seu desenvolvimento.

Desta vez, contrariamente ao que fiz na sementeira do ano passado, que descrevo em "semear favas e ervilhas", decidi utilizar a minha motoenxada para fresar o terreno um vez que este, no local onde queria semear as favas, tinha ficado de pousio estando, portanto, mais difícil de cavar.


Como a minha motoenxada tem um reboque com tração, que normalmente está ligado à máquina, fujo um pouco de a utilizar para as tarefas mais pequenas, devido ao trabalho que dá o seu desengate do atrelado e a colocação das fresas, pois estas funcionam no lugar das rodas. Como dou maior uso à máquina com o atrelado, para fazer o transporte de diversas coisas, agrícolas e não só, assim que termino uma utilização da máquina a fresar, geralmente engato logo de seguida novamente o atrelado para estar pronta a circular.

Esta motoenxada é uma ótima ferramenta tanto para fresar, como para serviços de transporte de pequena dimensão e apesar do seu andamento lento, é um equipamento indispensável para quem como eu, gosta de fazer, para além de pequenos trabalhos agrícolas, também alguns biscates na construção civil.

Como todas as máquinas esta também tem de ser manobrada com muito cuidado para evitar acidentes e quando a circular em caminhos agrícolas ou florestais acidentados, tem de se avaliar muito bem o declive do terreno, pois devido à pouca largura do rodado dianteiro, existe o perigo de virar com alguma facilidade.

Em “A minha motoenxada” e “Improvisação, sonho e realidade”, encontram-se descritas algumas características desta máquina e também da alteração que lhe fiz para aumentar a largura do rodado e a substituição do depósito de gasóleo em metal, por um de plástico.

A terra, devido à chuva, estava um pouco difícil de preparar, mas para semear favas não necessárias grandes “cerimónias”. Depois da terra fresada fiz a sementeira abrindo pequenos regos com uma enxada, não ocupando totalmente a área de terreno preparada para que, daqui a cerca de um mês, possa semear mais e assim ter favas frescas durante mais tempo, embora como já disse, possivelmente irão produzir quase na mesma altura porque um mês de diferença na sementeira não irá equivaler ao mesmo período na colheita.

Para além das fotos da motoenxada que tirei na altura da colocação das fresas, preparei também um pequeno vídeo, com duas fases diferentes do trabalho de fresagem (a iniciar e a finalizar) e também a fazer a sementeira das favas. 



Atualização em 2 de Julho de 2013

Esta sementeira de favas foi muito produtiva. Como disse em cima ela foi efetuada por duas vezes, na tentativa de poder colher favas em fresco durante um período maior, mas no final não se notou grande diferença, pois as duas partes do faval faval acabaram por vingar os seus frutos praticamente em simultâneo. Mesmo assim deu para colher favas durante algumas semanas, tendo feito a congelação de uma certa quantidade para ir comendo durante o ano.

Foi de facto uma colheita farta, apesar da pequena área de terreno que foi ocupada. Ainda ficaram muitas faveiras nas plantas, que se destinam à próxima sementeira e que agora acabei de colher já semi-secas e que coloquei ao sol para posteriormente descacascar, depois da sua secagem completa. Seguem-se algumas fotos do desenvolvimento da cultura e dos trabalhos finais:

Dois aspetos do faval. Na primeira foto nota-se ainda
 a diferença entre a primeira e a segunda  sementeira.
 
As favas expostas ao sol para secagem.

Malhando as favas para as descascar. Este trabalho é
feito quando as favas estão ásperas, isto é: quando a
casca está "estaladiça" o que permite que as sementes
se soltem com mais facilidade.

A erguer as favas. Utilizei um método rudimentar que consiste
em lançar as sementes,  que ainda estão misturadas
 com pedaços de casca, a uma certa distância , o que faz
com que as cascas fiquem para trás. Este método pode ser
utilizado para erguer outras sementes e também azeitona 

A colheita de favas secas (cerca de 20 litros) ao sol para
secagem final e posterior armazenamento.



Comentários

  1. Boa noite Amigo José Alexandre

    Ora cá está outro belo artigo. É o que se chama "favas contadas".
    Ando há algum tempo para adquirir uma maquineta destas, mas como já caminho para a 3ª idade, quando juntar mais uns cobres irei optar por uma em que esteja sentado. Uma coisa pequena em 2ª mão, para me entreter.
    Um abraço e boas cuulturas
    Camilo

    ResponderExcluir
  2. Ora viva amigo Camilo,
    É verdade que uma máquina em que se possa ir sentado deve ser bem melhor. Mas como a minha tem o atrelado e nessa altura já trabalho sentado, lá me vou desenrascando. A minha chácara também é pequena e serve perfeitamente, pois é uma máquina com alguma potência; é a gasóleo e consume muito pouco.
    Nesta altura da nossa juventude temos de nos mexer e não nos podemos agarrar só ao computador. Tem que haver um tempo para tudo.
    Foi um prazer falar consigo outra vez aqui no blog.
    Um abraço e boa semana de trabalho.

    ResponderExcluir
  3. Tem um blog mt interessante, e uma boas invenções sem duvida, se me permite a opiniao, mas tem uma coisa montada incorretamente na sua moto enxada, as facas devem estar montadas em espiral, assim fazem melhor trabalho e esforçam menos a maquina, alem de que se precisar de andar um pouco com ela com a freze sem estar a frezar, manda menos solavancos, penso que uma pequena pesquisa de imagens no google pode confimar. Boa continuaçao para a sua agricultura,è sempre bom encontrar colegas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá caro visitante. Obrigado pelo comentário.
      Quando adquiri a moto enxada as fresas eram novas e nunca reparei nem me preocupei com esse pormenor da montagem das facas, mas agora reparo que tem toda a razão. Efectivamente deverá ser mais fácil trabalhar com a máquina para além do melhor rendimento que sem dúvida se obterá.
      Logo que possa vou ver se consigo corrigir a montagem das facas e voltarei a escrever aqui mais qualquer coisa sobre o assunto.
      Mais uma vez obrigado pelo alerta e volte sempre.
      Abraço.

      Excluir

Postar um comentário