Bebedouro para aves

O “Meio Século” tem o prazer de apresentar hoje mais um projeto caseiro do seu autor, uma ideia nova e completamente original.

Perante esta entrada o leitor poderá ser levado a pensar que se trata de bazófia, pois daqui ninguém espera que possa sair alguma invenção que venha a revolucionar o mundo como, por exemplo, um inovador sistema de construir pontes, ou a descoberta de um novo combustível… Eu bem gostaria, mas não!... Não se trata de nada disso, nem sequer de uma simples e tosca capoeira sem telhado…mas também não é fanfarronice, que isso aqui não existe.

Mas, já que falei em capoeira, acrescento que é um projeto com alguma ligação a tal, pois se trata, nem mais nem menos, do que um bebedouro para aves. O tempo que mediou entre o nascimento da ideia e a sua conclusão não demorou mais do que duas horas, o que parece dizer bem da insignificância do projeto. Isso não significa, contudo, que não seja algo com alguma utilidade. Apesar de ter sido posto a funcionar a apenas algumas horas, pelo que já vi, o bebedouro funciona na perfeição e acredito que me vai poupar algum trabalho, não só no seu abastecimento de água, mas também na sua limpeza, tarefas que para além de ficarem facilitadas, se tornam também mais higiénicas.

Este bebedouro, que pode ser construído nas dimensões que cada um queira, de acordo com o número de aves que irá servir pode, eventualmente, ser usado também por outros animais, como cães, porcos ou ovelhas, embora neste caso particular tenha sido concebido para aves e, mais concretamente, galinhas.

Tive a ideia de fazer este bebedouro quando estava a olhar para um monte de garrafões vazios, daqueles utilizados no engarrafamento de água e a pensar que utilidade é que lhes poderia dar, sem ser a sua primitiva função ou, então, como se usa muito agora, retirar-lhes o fundo para servirem como estufas individuais para plantar alfaces no inverno…

O material utilizado foi apenas uma vasilha de plástico, um velho balde de tinta de 20 litros, já com o fundo roto, dois pedaços de tubo de pvc, dois parafusos velhos, um litro de cimento e dois ou três litros de areia. Os garrafões são apenas para servir de abastecimento automático do bebedouro.

Tinha todas estas coisas no meu armazém de sucatas e de restos de materiais, à exceção da bacia azul que surripiei na cozinha (a patroa não irá dar pela sua falta no meio de tantas vasilhas e taparueres e será menos uma a ocupar espaço), de modo que considero que o bebedouro ficou a custo zero, não pondo contas a duas horas de trabalho que considero muito bem empregues.

Para construir este bebedouro é necessário muito pouco.
Depois de ter cortado um tubo de pvc, com diâmetro um poucochinho inferior ao do orifício de um garrafão normal e com o comprimento adequado, medida obtida em função da altura do garrafão, do recipiente, e mais um pouco para ficar chumbado em cimento, fiz dois furos na vasilha azul, um no centro para passar o tubo onde vai ficar enfiado o garrafão e outro na lateral da vasilha, bem junto ao fundo, para meter um pequeno tubo que irá servir de esgoto para proceder à lavagem do recipiente. A alguns centímetros do fundo do tubo maior junto do local onde se irá situar o gargalo do garrafão, fiz três pequenos furos, que irão servir para a saída de água para o bebedouro, pois poderá dar-se o caso do tubo ficar muito justo no gargalo e não sair água entre este e o tubo.

As galinhas não parecem muito convencidas.
No fundo do tubo, na parte que irá ficar metida no cimento, varei o tubo com dois furos em forma de cruz para aí enroscar dois parafusos velhos que irão servir de chumbadouros, de modo a que o tubo fique bem agarrado ao recipiente, podendo desse modo o tubo servir como pega para manobrar o bebedouro para, por exemplo, fazer uma limpeza mais profunda ou mudar o equipamento de lugar. De notar que antes de enroscar os parafusos meti no interior do tubo acima dos furos uma rolha para impedir que o cimento subisse demasiado e também para que não existisse risco de perda de água pelo fundo do tubo.

De seguida cortei o balde da tinta sensivelmente a meio e encaixei os tubos, de abastecimento e de esgoto, no sítio respetivo, vedei com produto apropriado e enchi de massa de cimento e areia o espaço entre o recipiente e o bocado do balde da tinta. Neste caso meti o cimento pelo fundo do conjunto porque o diâmetro do bordo do recipiente azul se sobrepunha ao diâmetro da lata da tinta, o que obrigou a recorrer a um estratagema para que o tubo de pvc pendesse do recipiente, na vertical. Isto não seria necessário se houvesse espaço entre o recipiente e a lata da tinta para injetar a massa, mas assim até ficou melhor.


Este bebedouro que fica a funcionar na minha chácara, é ainda mais prático porque, como não tenho lá água corrente e as águas da chuva no verão estão impróprias para consumo, mesmo de animais, tenho de transportar para lá água limpa que vai já nos referidos garrafões e assim é só enfiar a vasilha, pelo gargalo, no tubo instalado no bebedouro para esse fim. Quanto à limpeza do bebedouro ela terá de ser feita diariamente, mas para uma limpeza corrente, será necessário apenas tirar a rolha ao tubo de esgoto, deixar correr alguma água limpa e tapar novamente o tubo.   
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários :

  1. Ah ficou muito bonitinho esse negócio meu amigo :D
    voce é muito talentoso.

    As galinhas irão se acostumar a engenhoca , tenho certeza!

    Beijinho e ótima semana , beijinho na patroa ... e espero que realmente ela não dê falta da vasilha...ahah

    tin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado minha amiga.

      As galinhas já se acostumaram e o bebedouro está a ser um sucesso. A água mantém-se limpa durante mais tempo e, tal como previa, é bastante fácil fazer a sua limpeza.

      Quanto à vasilha não tem qualquer importância, mencionei isso apenas por brincadeira e até já contei à “patroa” que disse que foi muito bem empregue.

      Beijinhos e um ótimo final de mês de Agosto.

      Excluir
  2. Gostei muito desse blog! Muito generoso você dividir todo seu conhecimento dessa maneira sempre tão detalhada e bem escrita. Já está nos meus favoritos. Um abraço :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernanda. Obrigado por gostar do blog e acompanhar.
      É um prazer partilhar os meus parcos conhecimentos com os leitores através deste espaço e espero que com a ajuda de muitos leitores interessados, como a Fernanda, se venha a tornar numa página de referência na Internet.
      Um abraço.

      Excluir
  3. Não entendi muito bem. Necessitava de um desenho mais esplícito e se possível com medidas. A ideia é genial . Gostei imenso muito obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, obrigado pelo comentário.
      Não vejo necessidade de lhe estar a indicar medidas, pois isto não tem qualquer segredo, é só cravar um tubo de pvc no cimento que envolve o recipiente, de modo que fique bem vedado para a água não sair por aí. Quanto ao esgoto, não é absolutamente necessário, embora fique melhor com ele, mas isso também é fácil, basta colocar lá um tubo para isso. O tubo vertical não convém que seja muito grosso, parque neste bebedouro os garrafões entravam à justa e agora os novos garrafões já não entram. E até já pensei em trocar os garrafões por uns recipientes maiores porque, parece que não, mas as galinhas bebem muita água.

      Excluir