AS CABANAS DE TRONCOS, O HOMEM E A NATUREZA

Uma cabana típica de colonos americanos.
Os historiadores acreditam que as primeiras cabanas de madeira  foram construídas nas zonas de fronteira nos Estados Unidos, por imigrantes suecos e finlandeses que trouxeram os seus conhecimentos de construção de log cabin (cabana feitas de de toros) com eles, quando se estabeleceram na região de Delaware, em 1638. Estruturas de log (registos) são também conhecidas por terem sido construídas como abrigos temporários por soldados durante a guerra revolucionária.

No entanto, a revolução americana começou a empurrar os colonos para o oeste, para lugares como Tennessee, Kentucky e também para territórios do noroeste onde as árvores eram abundantes. Comunidades de log cabin rapidamente surgiram em todo o país e esta se tornou a habitação típica dos camponeses americanos.

Como a matéria prima para a construção das cabanas de troncos eram árvores e lama, rapidamente surgiam abrigos com pouco ou nenhum custo. Mesmo os imigrantes Scotch-Irish (escoceses-irlandeses) habituados a viver em casas de pedra depressa se converteram em construtores de cabanas de madeira.

As cabanas de toros eram simples em construção porque o machado, o trado e instrumentos de madeira, foram as únicas ferramentas que eles tinham. Uma cabine típica de troncos era composta por uma divisão, onde uma família inteira vivia e tinha uma ou duas portas pendurados por tiras de couro, uma janela ou duas e, geralmente, tinham o chão de argila endurecida. No entanto, ocasionalmente foram feitos pisos com uma base de pedra.

As árvores foram laboriosamente cortadas pelo machado e os troncos foram trabalhados de modo a ficarem com o tamanho e forma pretendidos. Os registos foram ajustados uns aos outros por meio de corte de entalhes em cada extremidade ou com cavilhas de madeira. Para manter fora o vento e o frio, foram utilizados lama ou barro para preencher os espaços entre os troncos. Este processo foi chamado de reboco.

Algumas das primeiras cabines construídas tinham teto de palha, mas os construtores acabaram por aderir a um material mais resistente composto por placas de madeira que foram colocadas em sobreposição de linhas. Janelas de vidro na época eram um luxo, por isso a maioria eram feitas de papel oleado que permitia a filtragem de luz para dentro da habitação. Uma lareira, que também era utilizada para cozinhar, proporcionava um meio para aquecer a sala. Mais tarde, conforme as possibilidades, algumas famílias melhoraram o interior da habitação recorrendo a materiais isolantes para um maior conforto.

A cabana de madeira poderia ser chamada na América de um projeto “do-it-yourself" (faça você mesmo). Elas foram construídas porque os colonos tinham a absoluta necessidade de uma habitação. O “Homestead Act” de 1862 (Lei da propriedade rural) ofereceu uma área de 160 acres de terra para os colonos, mas exigia que fosse cultivada e ter uma casa com nada menos que dez por 12 pés de tamanho e pelo menos uma janela de vidro. As cabanas de madeira se encaixam nessa prespetiva.

Durante meados dos anos 1800, os comerciantes de peles, garimpeiros de metal, agricultores, pecuaristas e outros colonos começaram a construir edifícios de toros nas Montanhas Rochosas, Noroeste, Califórnia e Alasca.

Na virada do século a construção de log (registo) ainda era popular. Durante os anos 1930 e 1940, o Civilian Conservation Corps (CCC) (programa destinado a proporcionar empregos a jovens e desempregados) equipou muitos parques federais e estaduais com cabanas, lean-tos, (Um lean-to é originalmente definido como um edifício em que as vigas encostam contra outro prédio ou na parede), centros de visitantes e outras estruturas de registo ainda em serviço, hoje.

Abraham Lincoln nasceu numa cabana de madeira de perto Hodgenville, Kentucky. Durante muito tempo acreditou-se ser esta cabana o berço real de Lincoln, mas, graças aos historiadores sabe-se agora que é apenas um réplica.

Esta é outra réplica da cabana construída em honra de Lincoln e das suas origens humildes, que se encontra no interior do edifício memorial Abraham Lincoln Birthplace National Historical Park.

A cabine de registo passou a ser um símbolo do pioneiro e de fronteira na vida americana. Muitos americanos ilustres, entre os quais se contam os presidentes Abraham Lincoln, Millard Fillmore, James Buchanan, Andrew Jackson, ou James Garfield, nasceram em cabana de madeira. Abraham Lincoln, é talvez o mais conhecido por isso e no local onde ele nasceu, foi criado o Abraham Lincoln Birthplace National Historical Park, um templo em cujo interior existe uma réplica da cabana, que simboliza as origens humildes do presidente. O monumento foi inaugurado em 1916 por um grupo de benfeitores, que incluiu Mark Twain.

A cabana reconstruída de Laura Ingalls Wilder.

Outro edifício de madeira que ficou famoso é a pequena cabana de troncos onde nasceu Laura Elizabeth Ingalls Wilder, em 1867. Essa cabana foi construída, à beira da Grande Floresta do Winsconsin. Os anos passaram e a cabana de madeira de Laura, naturalmente desapareceu com o tempo, mas ali foi encontrada, em 1977, a fundação de uma pequena casa que se acredita ter sido a casa da família Ingalls A pequena cabana foi reconstruída com base na descrição encontrada no livro 'Little House in the Big Woods", um romance infantil escrito por Laura Ingalls Wilder e publicado em 1932.

A reconstituição pinta um retrato charmoso e historicamente exato do lugar onde a escritora nasceu.   Infelizmente, a agricultura desapareceu daqueles terrenos há muitos anos e por isso se torna difícil imaginar que esse é realmente o local da casa Ingalls, como descrito em 'Little House in the Big Woods",

As toras, os troncos ou os “log” continuaram a ser um material básico de construção, e essas casinhas tão nostálgicas que se tornaram um símbolo da América, têm mesmo uma data comemorativa o “log cabin day”, dia que celebra o que era então a casa de habitação nos Estados Unidos, e todo o estilo de vida que a acompanhava. O log cabin day, que se comemora em Junho é um dia para apreciar a história e o significado de cabanas de madeira.

Proenneke na sua cabine em  Twin Lakes.

Cabine usada pelos índios Athabascan,em Chena Indian Village, Fairbanks, Alaska.
Esta cabana tem muitas semelhanças com a cabana de Proennek, com as traves que suportam a cobertura
sobressaindo para fora e formando uma varanda.
 
Mas as cabanas  não permanecem apenas no imaginário de quem gosta destes pequenos e rústicos edifícios de madeira. A sua construção efetiva continua e, em 1968, Richard Louis "Dick" Proennek, um amador naturalista iniciou a construção de uma cabana de troncos nas montanhas do Alasca, perto da costa de Twin Lakes, lugar onde viveu sozinho durante quase trinta anos, nessa habitação que ele próprio construiu. Essa cabana de troncos, feita já na segunda metade do século XX também ficou famosa devido à história que a envolve.

As pequenas e rústicas cabanas de troncos ou log cabins, irão continuar a surgir, apesar dos múltiplos materiais de construção hoje existentes e da própria evolução do sistema construtivo em registos, que faz com que se construam grandes edifícios usando a técnica dos log (registos), com os troncos preparados industrialmente. Esse tipo de construções muito moderno e perfeito não tem nada a ver com as velhinhas cabanas de madeira construídas artesanalmente que, essas sim, pintam um belo quadro nostálgico formando, juntamente com o homem e com a natureza, um trinómio de paz e harmonia.

(Este artigo resultou do trabalho de pesquisas efetuadas em vários sites de língua inglesa.)


Comentários