NEVE NA SERRA DA LOUSÃ

O branco da Serra da Estrela, visto da Serra da Lousã. À frente os Penedos de Góis.
Nos últimos anos tem nevado com alguma frequência na Serra da Lousã. Este ano, ainda estamos no Outono, mas as zonas der maior altitude já se cobriram com um manto branco, o que acrescenta ainda mais beleza às suas paisagens.


Ontem fui até lá e, tal como há quase um ano atrás (Ver Uma Aventura na Neve), foi outra aventura a deslocação à serra porque, embora não estivesse a nevar, o vento era muito forte e o meu meio de locomoção continua a ser o mesmo para este tipo de passeios, ou seja um veículo todo-o-terreno… a pedal.


A montanha de Santo António da Neve
Desta vez, depois de passar pelo Gondramaz, chegado ao Parque Eólico de Vila Nova II, virei à esquerda dirigindo-me para a Catraia e depois em direcção ao Alto do Trevim. Não cheguei ao ponto mais alto da serra, tendo optado por seguir na direcção de Santo António da Neve; aliás, nos meus planos iniciais, constava a intenção de ir até ao aeródromo e depois descer a serra, passando pelos Penedos de Góis e atingir a EN 2 na Portela do Vento. No entanto não arrisquei a subida até ao Santo António da Neve, pois encontrava-me sozinho em plena serra e a neve aqui tinha cerca de 20 a 30 cm, tornando-se muito difícil circular de bicicleta. Assim optei por virar à esquerda na direcção de Aigra Velha, Aigra Nova e Ponte de Sótão.
A pequena aldeia de Aigra Velha, coberta de neve.


Durante o percurso aproveitei para revisitar velhos locais da serra e captar algumas imagens, agora emolduradas com o esplendor da neve.

Um desses locais foi a Unidade da Força Aérea de que já aqui falei em Edifícios Históricos em decadência na Serra da Lousã. Nesse artigo recebi o seguinte comentário de um militar que ali esteve a prestar serviço:

“Sr. José Alexandre a função principal não era de fazer segurança. A Lousã era um destacamento da base de Monte Real. Funcionava como uma estação repetidora das comunicações da F.A.P. Tive o prazer de aí estar nessa serra maravilhosa em 81/82. Éramos doze militares de várias especialidades.”

De facto eu pensava que a missão principal da Força Aérea na Serra da Lousã era a de manter as instalações da Televisão em segurança, dedução que fazia não só pelo facto de estarmos nessa altura ainda pouco distantes da revolução de Abril, mas também porque era costume estar um soldado de sentinela à entrada do recinto das Antenas, pelo que este comentário foi muito oportuno e de algum modo também esclarecedor. De resto, já fiz várias pesquisas na Internet, procurando saber algo sobre a missão da Força Aérea na Serra e nada encontrei.






~

O local continua abandonado e degradar-se rapidamente. Um edifício tem as traseiras com portas abertas e outro apresenta vários vidros partidos, o que parece indicar a prática de actos de vandalismo.

De qualquer maneira o lugar estava magnifico. O largo ou a “parada” tinha uma grande altura de neve, os telhados também estavam cobertos por um manto branco e as árvores, de grande porte, tinham o verde dos seus ramos sarapintados com pequenos flocos de neve, que o vento ali não conseguia sacudir, apesar de um pouco mais acima se sentir a agitação provocada pelo seu forte sopro.

Comentários

  1. Que lindas fotos amigo, deve ser um belo passeio. Eu aqui como não estou acostumada com neve, sempre acho lindo... mesmo sendo frio!
    Boa semana J. Alexandre !
    beijinho

    Cintia

    ResponderExcluir
  2. Ah , esqueci de dizer que tem um cão daí que é lindíssimo , o Cão da Serra da Estrela , maravilhoso animal!

    ResponderExcluir
  3. A pena que eu tive de não poder lá ir. Fui lá no dia 1, mas a paisagem, embora tivesse um pouco de neve era bem diferente.
    Os meus parabéns pelas belas fotos e pela coragem de fazer esse percurso em 2 rodas com esse tempo!

    Cumprimentos
    Artur Ferrão

    ResponderExcluir
  4. É verdade, a serra com neve ainda fica mais bela.
    A amiga Cintia tem de vir até cá um dia para apreciar estas belas paisagens. E, quem sabe... talvez leve um cãozinho da Serra da Estrela para o Brasil!
    José Alexandre

    ResponderExcluir

Postar um comentário