Comunicação e Relações Interpessoais

(Este artigo tem, no final, um vídeo explicativo sobre como escrever uma carta pessoal)

75% do nosso tempo é usado no relacionamento interpessoal

Após a minha admissão na Função Pública participei em várias Acções de Formação. Houve uma altura em que existiu uma grande motivação para essa participação, não só pela valorização cultural que daí advinha mas também porque se dizia que, para uma eventual subida na carreira, iria ser necessário um determinado número de horas de formação. Nessa altura ainda não se falava em crise e nem nos nossos piores sonhos se podia imaginar que as coisas tomariam o rumo que tomaram, ou seja o inverso do que se esperava, com a desvalorização da carreira e a estagnação ou até diminuição de salários.

De qualquer modo essas Acções foram importantes pois permitiram a aquisição de conhecimentos, que foram postos em prática melhorando o serviço prestado pelos trabalhadores certificados, ficando assim as duas partes (trabalhadores e entidade patronal) a ganhar.

Uma dessas Acções de Formação em que participei foi “Comunicação e Relações Interpessoais” e faço aqui um pequeno resumo da parte referente à Comunicação:

IMPORTÂNCIA DA LÍNGUA PORTUGUESA:




A COMUNICAÇÃO

Comunicar é transmitir e receber informações
Para se poder transmitir e receber informações é necessário o uso da linguagem.

Formas de Linguagem:
Verbal (palavras); oral ou escrita
Não verbal: gestos, bandeiras, luzes, Código de Morse, imagens, expressões faciais.

Elementos da comunicação:
Emissor: quem envia a mensagem
Mensagem: informação transmitida
Receptor: quem recebe a mensagem
Canal: meio físico através do qual se envia a mensagem (vibração do ar, telefone, papel, televisão,…)
Código: conjunto de sinais ou signos convencionados que, organizados, permitem ao emissor o envio da mensagem e ao receptor compreendê-la
Contexto: circunstâncias que envolvem a comunicação.

Nota: Tudo aquilo que perturbe ou impeça a comunicação é um Ruído.

Exemplos de Ruído:
Desconhecimento do código;
Má caligrafia;
Erros de ortografia;
Má construção das frases;
Deficiência dos órgãos dos sentidos; Interferências numa ligação telefónica, televisiva,…

“60% dos problemas interactivos são consequência de uma má comunicação” (Peter Druker)

VÁRIOS TIPOS DE LINGUAGEM

Linguagem cuidada:
Linguagem reflectida, rara, trabalhada;
Vocábulos escolhidos, havendo cuidado na construção frásica e rigor gramatical;
Tipo de língua em que o emissor recorre a termos menos correntes e estrutura a frase de modo a procurar a perfeição.

Exemplo: “Não primavam as velhas cidades pela higiene, a luz mal entrando e o ar circulando nas suas ruas estreitas e tortuosas. As praças e jardins, que são uma espécie de pulmão da cidade, ou não existiam ou eram de exíguas dimensões, órgãos sem aptidão para o papel que lhes destinavam.”

Linguagem corrente:
Linguagem utilizada no dia-a-dia, em discursos que retratam o quotidiano;
Vocabulário que permite a comunicação entre todos os falantes, seja qual for a sua condição social e económica;
Tipo de língua que serve os meios de comunicação de massas.

Exemplo: “Os cem mil exemplares de uma edição soviética de três romances e uma série de contos do escritor português Vergílio Ferreira esgotaram-se num mês, informou a editora portuguesa do autor.”

Linguagem familiar:
Vocabulário muito simples e pouco variado;
Tipo de língua em que, gramaticalmente, a frase é muito simplificada;
Linguagem usada no ambiente familiar ou de amigos.

Exemplo: “Aqui há semanas perdi o emprego e a minha mulher, a Amélia disse-me: “Vai ao Vitinha, homem! Ele sempre há-de arranjar qualquer coisa.”- Boa ideia! À noite disse aos amigos: “ - Amanhã vou ver o Vitinha. Vou falar com ele…” Todos ficaram alegres. “ - Dá lá recomendações, pá”, disse o Naftalina.”

Linguagem popular:
Vocabulário pitoresco e que se afasta da língua padrão;
Tipo de língua em que, gramaticalmente, a frase é, por vezes, incorrecta;
Linguagem que se caracteriza, muitas vezes, por erros ortográficos.

Exemplo: “ - E a mim este tempo de névoas e nortada traz-me queimada de dores. O que me vale são os remédios por mor dos nervos não encolherem e o meu António. Olhe que ele não me progunta o que faço, nem o que gasto." 

Linguagem Técnico Cientifica:
Vocábulos com significado específico de uma ciência ou técnica.

Exemplo: “O osciloscópio (ou oscilógrafo) de raios catódicos é um tubo produtor de raios que apresenta a forma, as dimensões e os eléctrodos que convêm aos fins a que se destina.”

Calão:
Tipo de língua que consiste numa violação da norma;
Linguagem considerada uma forma marginal de expressão;
Vocabulário grosseiro.

Exemplo: “ – Jantar? Olha, olha, a minha missão é nobre mas lixada. Um tipo grama fome, sede, enxovalhos à custa de outros gajos…”

Gíria:
Linguagem utilizada por grupos específicos (há uma gíria dos estudantes, dos jornalistas, dos pescadores, dos futebolistas…);
Vocabulário especial, próprio de certos grupos profissionais e sociais.

Exemplo: “Estava um terno de choros numa montada quando uma geada subia para a gaiola. Desengomaram-lhe a caldeira, comendo-lhe um guizo…”
(Tradução: Estavam três carteiristas numa paragem quando uma senhora de idade subia para o eléctrico. Abriram-lhe a carteira, roubando-lhe um porta-moedas…)

Exemplo de uma Carta Formal, utilizando Linguagem Cuidada:

José Alexandre Henriques
Rua do Pinheiro Bravo, nº 22, 2º esquerdo
1234-432 Oliveira de Cima


Oliveira de Cima, 12 de Dezembro de 2010


Exmº Senhor
Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco


Na qualidade de munícipe venho, por este meio, dar uma vez mais conhecimento a V.Exª do deplorável estado em que se encontra a rua onde habito, desde as últimas cheias, que tiveram lugar há já dez meses. Intransitável a qualquer veículo e sem iluminação, oferece vários perigos aos utentes, principalmente a crianças e pessoas idosas.

Certo de que V.Exª está atento aos interesses e necessidades dos munícipes, subscrevo-me, apresentando os meus melhores cumprimentos.


                                                                                                              Atenciosamente,
                                                                                                       José Alexandre Henriques


Exemplo de uma carta pessoal, utilizando Linguagem Corrente/Familiar:

Clique na imagem para a aumentar.


Vídeo explicativo sobre como escrever uma carta pessoal

Comentários

  1. Viva José.
    Durante o tempo em que trabalhei no IPO, também fiz alguns cursos e acções de formação. Sem eles, não se subia na carreira, aquando dos concursos. Mas não só. Aprendíamos sempre qualquer coisa. Muita gente precisou, precisa e precisará de fazer acções de formação em Comunicação, tanto oral como escrita.
    Adoro ouvir a música de Rui Veloso neste Postal dos Correios, interpretado pelos Rio Grande, que quando olhei para a imagem, reconheci e cantarolei. E que bem que me soube.
    O que apresenta, tem aquele ar caseirinho dos Trabalhos para Casa, muito cuidado na caligrafia, com imaginação suficiente para poder demonstrar o que «aprendeu» na aula sobre Comunicação. Sem ser professora, eu o classifico de Muito Bom, à moda antiga. Como eterna aluna agradeço-lhe a aula senhor professor.
    Parabéns.
    Boas Festas.
    Fique bem.
    Guidinha Pinto

    ResponderExcluir

Postar um comentário