BARCO CONSTRUÍDO COM PERSIANAS

O barco a remos que construí utilizando persianas usadas e outros materiais reaproveitados, já navega em pleno num troço do rio Dueça, na área da Quinta da Paiva. Trata-se de um sonho dos tempos de criança que agora levei a cabo, motivado também pelo espelho de água que cobre o rio numa extensão de cerca de 500 metros, após ali terem sido colocadas umas comportas com a finalidade de manter o rio, naquele local, com alguma água no verão.

Já tinha lançado o barco à água há dois meses atrás, mas nessa altura a corrente era bastante forte o que dificultava muito o controlo do barco, tendo no entanto verificado que era bastante estável e completamente estanque, o que agora confirmei depois de algumas horas a remar e de ter transportado várias pessoas.

Trata-se de uma obra completamente artesanal que ficou bastante bonita (não é para me gabar) e algumas pessoas já me perguntaram onde é que eu adquiri o barco. Claro que eu nunca iria comprar um barco para andar a passear no rio, não só pelo dinheiro que custaria, mas principalmente porque assim, construído por mão própria e aproveitando materiais sem outra utilidade, além de ficar incomparavelmente mais barato dá muito mais satisfação.

Preparei dois pequenos filmes com alguns momentos do barco a navegar no rio. O local é muito bonito, no entanto nota-se alguma falta de limpeza nas margens e no leito e a água que outrora foi límpida, onde muitas centenas de pessoas tomavam banho no verão e da qual se dizia que curava algumas doenças de pele, também se encontra bastante poluída.

Filme de vídeos.

Filme de fotografias

Artigos relacionados:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 comentários :

  1. Excelente! Ainda no domingo o vi passar. :)
    Marina Pires

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Marina.
      Da próxima vez que for à Quinta da Paiva poderá, se quiser, dar uma voltinha no barco.

      Excluir
  2. Olha que coisa mais legal!!! Adorei meu amigo, que bacana!
    Os videos ficaram bons também... voce é muito talentoso José Alexandre!

    :D

    beijinho da tin

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena estar tão longe, Tin. Mas já sabe... quando vier a Portugal tem que dar uma volta no meu barquinho! A Tin iria adorar, eu também, e até as águas do rio iam ficar mais brilhantes nesse dia.
      Um beijinho e obrigado pela sua amizade e simpatia.

      Excluir
  3. Boa tarde Amigo José Alexandre
    Parabéns pelos vídeos e sobretudo pela navegação no rio Dueça.
    O João Persiana singra as águas com elegância. Só lhe falta uma bóia no castelo de proa, para o que der e vier.
    Um abraço
    Camilo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão amigo Camilo. Vou ter de pensar no assunto da bóia.
      Não preciso de o convidar para viajar no João Persiana, porque o barco é como se fosse seu. Por isso espero vê-lo por cá um destes dias, pois seria a maior honra ter um marinheiro de verdade a bordo.
      Um abraço.

      Excluir
  4. Só assim ainda podemos manter a sanidade mental que aos poucos tentam tirar-nos! Parabéns pela sua obra de engenharia naval saída dos estaleiros do Dueça! Que navegue em águas calmas, que para sustos já há outras águas!

    ResponderExcluir
  5. As águas são calmas, só é pena que sejam tão escassas. Por enquanto ainda dão para navegar e a prof. Flora também está convidada para um "cruzeiro" no Dueça. Será uma honra tê-la a bordo.

    ResponderExcluir