AGUARDENTE DE MAÇÃS

Num artigo anterior “Plantar árvores de fruto”, a dada altura escrevi o seguinte:

Os frutos das macieiras e das pereiras, conservam-se durante um pouco mais de tempo (mais as maçãs do que as peras) e por isso optei por apostar mais nestas espécies, estando a fazer a plantação de macieiras em substituição de alguns pessegueiros que considero de pior qualidade.

De facto, isto é verdade; as maçãs conservam-se durante muito tempo, ao contrário do que acontece com outras espécies de frutos como os pêssegos ou as ameixas, por exemplo. E tanto assim é que já ando a consumir maçãs há mais de dois meses de apenas uma macieira do meu pomar, porque as outras que lá estão foram plantadas há pouco tempo e, por isso, também ainda pouco produzem. Esta macieira, da qual eu estava com algumas dúvidas sobre a sua produção deste ano devido à poda bastante profunda que lhe dei no inverno, fintou as minhas previsões e carregou-se de maçãs grandes e saborosas.

Por esse motivo, resolvi, perante tão grande quantidade de maçãs, reservar cerca de 30 litros de fruto, para fazer alguma aguardente, não porque seja consumidor habitual dessa bebida, ou grande apreciador, foi mais pela experiência do que por outro motivo. E, por acaso, até fui desencorajado por algumas pessoas de o fazer, que me disseram que a aguardente de maçãs é de fraca qualidade, que tem sabor a azedo e que não vale a pena fazer aguardente dessa fruta.

Mesmo com essas opiniões negativas, fui em frente e fiz a destilação dos 30 litros de maçãs, tendo obtido três litros de aguardente. A sua qualidade pode não ser comparável à da aguardente de outros frutos, como o medronho, mas o seu sabor é bastante interessante, muito diferente das aguardentes mais correntes, de teor alcoólico mais baixo e deixando um travo amargo, mas agradável, acho eu…

A forma de fazer a aguardente de maçãs é idêntica à de medronho, no entanto é necessário um maior cuidado para evitar que a pasta de maçã agarre ao fundo da panela do alambique. A destilação é mais lenta e o volume de aguardente que sai do cano da serpentina é menor, o que pode levar a atiçar o fogo, provocando esturro no produto. Durante a destilação que fiz, o líquido praticamente nunca saiu em fio contínuo, o que fez demorar o trabalho.

Aos 30 litros de maçãs, que ficaram reduzidos a cerca de 20 litros de pasta, misturei cinco litros de água, (a água é necessária para liquidificar o produto) obtive quase três litros de aguardente. Foi uma experiência interessante, cujo processo passo a descrever:

Comecei por lavar e cortar as maçãs em pedaços, retirando-lhe as sementes e bocados que estivessem em mau estado, pois algumas dessas maçãs foram apanhadas do chão.

Depois, coloquei os pedaços das maçãs num recipiente e tapei-o com um plástico. Deveria ter antes triturado as maçãs, mas não tenho nenhum triturador apropriado, pelo que dispensei esse procedimento. De qualquer modo as maçãs com a fermentação acabaram por se desfazer, tendo o produto estado na vasilha durante cinco semanas. Não sei se esse foi o tempo correto, pois não encontrei uma opinião concreta nas pesquisas que fiz sobre o assunto, mas acho que deve andar por aí. Durante esse período de tempo, mexi a pasta apenas duas ou três vezes.

Antes de colocar a pasta de maçãs na panela do alambique, adicionei-lhe cinco litros de água e mexi bem o produto. Depois coloquei um crivo metálico no fundo da panela, para evitar que a parte mais sólida da pasta entrasse em contato com o fundo. Esse crivo foi feito por mim, por uma questão de economia, embora essas peças estejam disponíveis nas lojas especializadas.

Depois de colocar a panela na fornalha, fui mexendo a pasta até começar a ferver, após o que coloquei o capacete. A primeira aguardente que saiu tinha um tom esverdeado, que joguei fora. Aliás, os primeiros 10% da aguardente de uma alambicada não devem ser aproveitados, mas aquele tom esverdeado só surgiu na primeira alambicada. Não tenho uma explicação para esse facto, (antes tinha lavado bem o equipamento), terá sido mesmo por ser a primeira destilação após o alambique estar em desuso há oito meses. Sei que neste caso é aconselhável fazer uma primeira destilação de água, não fiz isso, mas de qualquer modo deitei fora grande parte da aguardente daquela alambicada.

As alambicadas seguintes correram normalmente, mas de cada vez que despejava a panela, tinha que limpar o fundo, porque ficava sempre um bocado de produto agarrado, apesar do crivo de separação que, supostamente deveria evitar esse problema. Quando fiz aguardente de medronhos tal nunca aconteceu, o problema é que a pasta de maçãs para além de ser mais sólida, exige um fogo maior para fazer a destilação. Este problema poderia ser minimizado diluindo mais a pasta, mas teria o inconveniente de diminuir ainda mais o teor alcoólico da bebida, que já de si não é muito elevado.

Para finalizar devo dizer que o conteúdo deste post representa apenas a minha experiência e a opinião com que fiquei sobre o fabrico de aguardente de maçã, depois de ter produzido uns escassos três litros dessa bebida de forma completamente artesanal, como pode ser comprovado no vídeo que se segue.



Nota do autor:
Chamo a atenção para este comentário de um leitor que considero muito interessante pelas informações que agrega a este post:

Boa noite, caro colega produtor / destilador !

Efectivamente assim desse modo será dificil chegar a algum resultado quer ao nivel do alcool obtido, quer ao nivel da facilidade na destilação da pasta da maçã.

Então começando do principio:

- Ha realmente toda a vantagem em que os pedaços de maçã sejam bem pequenos para se desfazerem bem na fermentação, mas pelo que percebi do que disse e pela magnifica foto, as ditas duas unicas vezes que a pasta foi mexida, foi com o fermentador aberto ao ar !!! Estou correcto ???

Ora isso é muito mais do que meio caminho para que todo o processo de fermentação sofra profundas alterações indesejadas e provoque a volatilizaçao - ainda para mais a mexer e agitar e misturar mais ar - do produto pelo qual se espera tanto tempo e tanto se cuida para que a bela fruta fermente bem - O PRECIOSO ALCOOL !

Já para não falar muito sobre o facto de que as maçãs terão que fermentar ja com a quantidade de agua apropriada ( juntar um quinto do volume da fruta em agua potavel ) para que a pasta final tenha a diluição correcta no momento em que se abre pela primeira e unica vez o fermentador e de preferencia ao fim de pelo menos 60 dias !

O segredo é ter mais do que um fermentador portatil, de boca larga e tampa roscavel e que vede completamente, para pôr todos os quilos de maçã que se queira, de forma a que se possa levanta los e, dia sim dia nao, o possa agitar com impeto durante meio minuto para estraçalhar todos os pedaços á medida que fermentam e se produza pasta.

Se suspeita que a maçã é pouco doce, junte uma colher de sopa medida de açucar amarelo por cada kilo de fruto inteiro.

Vai ver a pomada que sai do alambique, que já agora deveria saber - seu anjinho - que se gastou tanto dinheiro num alambique, antes de destilar o que for, tem que lhe fazer uma cama de feno ou palha bem amarela nada meio verde, e depois cobrir com no maximo dois dedos de agua potavel, e so depois entra a pasta, e assim nada se agarra ao fundo.

Aprenda que eu nao duro sempre.
Abraço.


Comentários

  1. Boa noite,

    Coloquei um link para o seu site no meu blog (abaixo), espero que não se importe!

    http://inphinitorumdotcom.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite.
      Claro que não me importo, antes pelo contrário até agradeço, pois sempre ajuda a divulgar o blog.
      Obrigado

      Excluir
  2. Boa noite, caro colega produtor / destilador !

    Efectivamente assim desse modo será dificil chegar a algum resultado quer ao nivel do alcool obtido, quer ao nivel da facilidade na destilação da pasta da maçã.

    Então começando do principio:

    - Ha realmente toda a vantagem em que os pedaços de maçã sejam bem pequenos para se desfazerem bem na fermentação, mas pelo que percebi do que disse e pela magnifica foto, as ditas duas unicas vezes que a pasta foi mexida, foi com o fermentador aberto ao ar !!! Estou correcto ???

    Ora isso é muito mais do que meio caminho para que todo o processo de fermentação sofra profundas alterações indesejadas e provoque a volatilizaçao - ainda para mais a mexer e agitar e misturar mais ar - do produto pelo qual se espera tanto tempo e tanto se cuida para que a bela fruta fermente bem - O PRECIOSO ALCOOL !

    Já para não falar muito sobre o facto de que as maçãs terão que fermentar ja com a quantidade de agua apropriada ( juntar um quinto do volume da fruta em agua potavel ) para que a pasta final tenha a diluição correcta no momento em que se abre pela primeira e unica vez o fermentador e de preferencia ao fim de pelo menos 60 dias !

    O segredo é ter mais do que um fermentador portatil, de boca larga e tampa roscavel e que vede completamente, para pôr todos os quilos de maçã que se queira, de forma a que se possa levanta los e, dia sim dia nao, o possa agitar com impeto durante meio minuto para estraçalhar todos os pedaços á medida que fermentam e se produza pasta.

    Se suspeita que a maçã é pouco doce, junte uma colher de sopa medida de açucar amarelo por cada kilo de fruto inteiro.

    Vai ver a pomada que sai do alambique, que já agora deveria saber - seu anjinho - que se gastou tanto dinheiro num alambique, antes de destilar o que for, tem que lhe fazer uma cama de feno ou palha bem amarela nada meio verde, e depois cobrir com no maximo dois dedos de agua potavel, e so depois entra a pasta, e assim nada se agarra ao fundo.

    Aprenda que eu nao duro sempre.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, caro visitante. Obrigado pelo comentário!

      A minha destilação de aguardente de maçãs foi apenas uma experiência e, sinceramente, acho que não é para repetir. Não sou um produtor, apenas quis fazer mais por curiosidade do que por outra coisa.

      Como disse não devo voltar a destilar maçãs, mas, se o fizer, vou seguir os seus conselhos, com a certeza de que obterei a tal pomada de que fala.

      Mais uma vez obrigado pelo comentário e pelos conselhos!

      Um abraço.

      Excluir
  3. Olá, a cachaça de maçã que você fez tem gosto diferente da cachaça de cana? E a cachaça de maçã que você fez tem um gosto diferente da cachaça de cana curtida em maçãs? Se tem gosto diferentes, qual é a que tem mais gosto de maçã? Obrigado. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não sei responder às perguntas que faz, porque, na verdade, não tenho grandes conhecimentos sobre este género de bebidas alcoólicas, do que eu gosto mesmo é de um bom vinho tinto, no entanto agradeço a participação e espero que alguém que por aqui passe lhe possa responder.
      Um abraço.

      Excluir
  4. boa tarde. com interesse este materia de aguardente de macas e até experimentei, ! so que a papa da maca agarrou ao fundo da panela e eu tinha juntado algum acucar. ai que que passei para a lavar!! depois bom, nao desisti e agora ja nao ter esse problema. o segrdo està no que ninguem nunca partilha. egoistas que guardam o melhor e nao divulgam. poiss bem amigos antes da destilacao, fassam primeiro o vinho da fruta e depois sim levem a destilar...abracos a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho de confessar que não entendi muito bem essa de fazer primeiro o vinho da fruta, mas agradeço a partilha neste blog das suas experiências com aguardente de maçãs. Tenho de dizer também que disse tudo o que sabia acerca da matéria, não guardei segredos de nada.
      Um abraço e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  5. nao me referia ao sr. o facto de algumas pessoas fazerem videos e guardarem o melhor para eles. Fazer o vinho? bom, apos fermentacao separar a polpa do sumo. obgd amigo pelo blog

    ResponderExcluir

Postar um comentário