NOVAS PONTES EM COIMBRA

Ponte restaurada para passagem de peões


Uma das mais antigas pontes de Coimbra foi restaurada para ser utilizada por peões. Esta ponte que estava desativada há vários anos livrou-se definitivamente da passagem de veículos automóveis e vai ficar ao serviço exclusivo de peões e ciclistas. Após a tragédia de Entre-os-Rios, em que ruiu uma ponte semelhante à da Portela do Mondego e que causou a morte a várias dezenas de pessoas, esta estrutura passou a ser olhada com desconfiança e terá sido isso que acelerou a construção de uma nova ponte na zona, se bem que essa obra fosse imprescindível a curto prazo, dado que já se estava a tornar obsoleta para o imenso tráfego que a cruzava e que não tinha outra alternativa por perto. O cruzamento de veículos na ponte era um martírio, especialmente quando havia cruzamento de veículos ligeiros com pesados, (não dava para fazer cruzamento entre dois véiculos pesados) dada a estreiteza do seu tabuleiro, onde também tinham de circular peões.


Ponte restaurada para peões


Essa ponte foi inaugurada em 1873 e diz-se que está assente em estacaria de pinho verde. Na data, a construção de uma ponte como esta era uma obra de vulto e, provavelmente, nesta altura seria cruzada apenas por veículos de tração animal, pois data de 1895 a chegada do primeiro veículo automóvel a Portugal. Assim, a sua largura seria bem suficiente para a época e talvez até tivesse sido levado em conta uma possível expansão do seu tráfego.

Na construção da nova ponte da Portela cometeu-se o erro de não se pensar no futuro próximo e apenas se fizerem três faixas de rodagem, o que parecia um pouco absurdo, dado que já era insuficiente para a época da construção. Essa insuficiência foi agora remediada com a abolição dos passeios e a construção de mais uma faixa para veículos. Com a auto-estrada 13 quase concluída e a desaguar a poucos metros de distância, a ponte da Portela terá um grande aumento de tráfego e a quarta faixa era imprescindível, mas não deixa de parecer que esse remedeio teria sido evitável se tivesse existido um melhor planeamento da obra, no seu início.

Coimbra é, decididamente, uma cidade de muitas pontes. Só aqui, separadas por poucos metros, existem três: as duas já mencionadas e também a ponte ferroviária do ramal da Lousã, que se encontra desativada há vários anos e que também sofreu obras de restauro, estando à espera que sobre ela voltem a passar comboios, embora, pelo andamento da “carruagem”, ainda vá ter muito que esperar.



Ponte sobre o rio Ceira na zona do Cabouco


Para além destas e de muitas outras pontes que a cidade tem, com a construção da A13 muitas outras surgiram, não propriamente dentro da cidade, mas nos seus arredores, entre as quais merece especial destaque a ponte sobre o rio Ceira, na zona do Cabouco e a apenas algumas centenas de metros da Portela. Não sei qual o nome exato dessa ponte, mas ela é, certamente, a mais alta ponte de Coimbra e uma das maiores da cidade. A sua arquitetura é muito diferente não tendo a beleza de outras pontes, como a ponte Rainha Santa Isabel, mas não deixa de impressionar pela sua grandeza. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários :

  1. Olá meu amigo!
    Quanto tempo não deixo uma mensagem para voce no seu blogue... infelizmente, seus últimos assuntos não eram muito fáceis para eu comentar...rs . Mas, hoje eu vou!
    Aqui a moda é construir pontes estaiadas, tem várias, são bonitas, mas confesso que me dá uma dúvida quando olho aquela estrutura toda suspensa por cabos de aço... medo!
    Ótima semana para voce José Alexandre!
    beijinho

    ResponderExcluir
  2. Olá, amiga Cintia!
    É com imenso prazer que recebo os seus comentários, mas compreendo perfeitamente que as minhas matérias nem sempre a motivem a dar uma opinião. Eu também não tenho opinado no seu blogue, talvez pelo mesmo motivo, pois a verdade é que falamos sobre assuntos muito diferentes, mas se calhar é por isso mesmo que eu valorizo ainda mais os seus comentários.
    Quanto ao assunto deste post, eu gosto muito de pontes, gosto de admirar aquelas construções arrojadas e além disso elas são um elo de ligação entre pessoas. Acho que este meu fascínio por pontes vem de uma aventura de infância que ocorreu quando cruzava uma velha e tosca ponte de madeira...
    Obrigado minha amiga!
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  3. Que aberração foi aquela da cor da tinta utilizada no restauro da ponte antiga?! A ponte era tão bonita, ficou, esteticamente, arruinada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ponte estava toda enferrujada e necessitava de pintura. Agora, quanto à cor, depende dos gostos. Pessoalmente, acho que não será caso para dizer que ficou estéticamente arruinada.
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir