ADUBAR O MILHO

Depois da sementeira de milho que fiz nas primeiras semanas de Abril, chegou a altura de colocar algum adubo nas plantas, que agora já estão com cerca de meio metro de altura. O tempo tem estado de feição para a cultura do milho, pois após os dias de calor que se seguiram à sementeira e que favoreceram a germinação, vieram alguns dias de chuva, o que veio atrasar a necessidade das primeiras regas e permitiu proceder à adubação das plantas, uma vez que a chuva vai facilitar a dissolução do fertilizante e a sua introdução na terra.

Uma parte do terreno onde fiz a sementeira estava há vários anos de poisio, infestado de grama e outras ervas ruins. A lavragem foi feita com um trator de média dimensão, que contratei para o efeito, tendo depois feito eu próprio a fresagem com a minha motoenxada. Tive imensa dificuldade para deixar o terreno com as condições mínimas para a sementeira e cheguei a lamentar não ter reservado esse terreno para semear batatas, pois isso iria contribuir para a limpeza das ervas ruins, uma vez que para se proceder ao arranque das batatas, que ocorre em pleno verão, tem de se cavar a terra, numa altura em que esta está seca, o que vai dar origem ao desaparecimento das ervas.

De qualquer modo o milho tem-se desenvolvido muito bem, mesmo estando a conviver com as ervas. Foi sachado e já após disso procedi ao arranque de algumas ervas maiores. A colocação do adubo para além de dar força ao milho, também faz crescer mais os infestantes, mas as plantas agora já cresceram o suficiente para levar de vencida a disputa com as ervas ruins.
Utilizei adubo granulado nitromagnésio, espalhando um pouco junto aos pés, mas algo afastado para evitar queimar as plantas. Este adubo derrete-se com alguma facilidade e depois de uma tarde de chuva moderada já não existiam vestígios à superfície. Creio que existe alguma vantagem em aplicar o adubo com o tempo chuvoso porque assim o produto vai infiltrar-se na terra lentamente, o que poderia não acontecer com as chamadas regas de pé, em que a água chega às plantas de forma mais irregular.

Atenção:


Alguns dias depois da colocação do adubo, apareceram no milheiral algumas plantas com as folhas manchadas com um tom acastanhado. Creio que isso se deve a algum adubo que terá entrado  em contato mais direto com as raízes da planta. Isto alerta para a necessidade de se ter cuidado com a quantidade de adubo que se coloca e da forma que se coloca, pois em casos extremos pode-se destruir um milheiral. 

Entretanto, em algumas pesquisas que fiz, encontrei a indicação que essas manchas podem ser provocadas por um determinado tipo de doença, mas, neste caso concreto, a minha opinião é de que a secagem de parte das folhas de algumas plantas se deve ao excesso ou má aplicação do adubo. O ano passado sucedeu a mesma coisa no meu milheiral, cerca de uma semana depois de ter colocado adubo, o que me leva a esta quase certeza sobre as causas.

Comentários