ESCREVA UMA CARTA FAMILIAR

Hoje vou tratar de um assunto diferente no blog. Existem centenas de outras coisas interessantes que se podem fazer sem ser semear batatas ou plantar couves. E que tal, se escrevesse uma carta?... Vamos a isso!...


Hoje em dia comunica-se muito. Estamos sempre em contato com familiares e amigos pessoais e virtuais que se encontram longe e essa comunicação é feita praticamente em tempo real, seja através de telefone, celulares de toda a espécie, email, redes sociais, etc. 

Tornámo-nos dependentes do telemóvel, da televisão, do computador… as mensagens, os alertas de aniversários, as fotos, ou os comentários nas redes sociais tornaram-se tão vulgares que já passam despercebidos. Temos duas opções: ou passamos a vida agarrados aos telemóveis e aos computadores, fazendo aparições constantes nas redes sociais e somos brindados com comentários, “gostos e desgostos”, (primeira opção) ou deixamos esse frenesim e ocupamos o tempo com outras coisas, (segunda opção). Esta última escolha tem o inconveniente de nos fazer perder o "fio à meada", passando a atores secundários desta novela "sócio-tecnológica" e sendo rapidamente esquecidos.

Tem de existir um meio-termo, um tempo para fazermos coisas diferentes…Então… e se aproveitássemos a altura do Natal para escrever, com o próprio punho, uma carta aos nossos familiares e amigos mais chegados e as fizéssemos seguir pelo correio normal, recuando no tempo umas dezenas de anos? Seria, certamente uma atividade saudável e, não querendo entrar em saudosismos, a minha opinião é que o progresso nestas coisas da comunicação, como em muitas outras, caminha depressa demais.

Utilizando a letra da canção “Postal dos Correios”, dos “Rio Grande”, uma canção com já alguns anos, elaborei o exemplo de uma carta pessoal, escrita em linguagem familiar.


Nessa carta era pedido aos destinatários que “mandassem” novidades na volta do correio. Não sei se os “Rio Grande” obtiveram resposta ao postal que "escreveram", mas esse postal ou carta não podia ficar sem retorno e, então, resolvi inventar uma resposta que serve também de exemplo de uma carta pessoal, neste caso da resposta a uma carta familiar:





Para recordar, fica o vídeo dessa excelente canção dos "Rio Grande".




Comentários