AS OBRAS DO DR. BACALHAU, NA SERRA DO ESPINHAL


O edifício principal das "Obras do dr. Bacalhau, construído na década de 60, onde decorreram os festejos da inauguração há mais de quarenta anos.
Foi há cerca de quarenta anos que foi “inaugurado” um empreendimento na Serra do Espinhal, que ficou conhecido como “As Obras do Dr. Bacalhau”. Lembrei-me hoje disso porque foi no mesmo dia em que decorreu a romaria da Nª Senhora da Piedade na Lousã. Como esta se trata de uma festa móvel não terá sido exactamente neste dia, mas foi por esta altura.

Eu devia ter doze ou treze anos, portanto a referida inauguração deve ter ocorrido no final da década de 1960, talvez em 1968 ou 1969 e, ainda hoje, não sei o que é que foi inaugurado, penso que terá sido o principio de qualquer coisa, talvez de um complexo turístico, ou de saúde, era o que se dizia na época, no entanto as construções existentes acabaram por ficar largos anos ao abandono, por motivos que desconheço, mas que a que não estará alheio o facto de ter ocorrido a morte do seu fundador.

O certo é que naquele longínquo dia de Maio, um dia de sol radioso, houve festa rija, com música e foguetório e com muita gente presente naquele local de grande beleza, um autêntico paraíso, com aqueles edifícios a fazerem lembrar a arquitectura românica, com lagos onde alguns barcos movidos a pedais faziam a delícia dos mais jovens que travavam autênticas batalhas para conseguirem um lugar a bordo.

Para ali se deslocou gente de lugares distantes, naquele dia, devido à importância que era atribuída ao acontecimento. Eu próprio me integrei num grupo da minha aldeia, que se deslocou a pé por atalhos da serra, durante cerca de doze quilómetros, para assistir a esses festejos.

A verdade é que aquele projecto nunca foi finalizado e ainda se podem ver na zona algumas escadarias meio soterradas e, espalhadas pelo mato, muitas pedras, pilares ou blocos, que terão vindo de outras obras e que para ali ficaram a fazer lembrar as ruínas de uma cidade perdida.

Depois de muitos anos ao abandono, durante os quais esteve sujeito a actos de vandalismo, o local foi ocupado durante algum tempo pela Associação Le Patriarche, que ali manteve um Centro destinado à recuperação de toxidependentes.

Mas hoje, conforme pude constatar por uma visita que fiz aquele sítio, o local está ocupado pela Associação Portuguesa de Medicina Preventiva, uma associação sem fins lucrativos, com sede em Lisboa, que ali pretende instalar um novo e ambicioso projecto na área da saúde, tendo já iniciado as obras.

Parece que finalmente o projecto das obras do Dr. Bacalhau, que nos anos 60, parecia um pouco utópico, vai renascer, agora com este novo projecto, que parece ter muitas semelhanças com o do seu fundador. Esperamos que tudo corra bem!

Um edifício apenas com duas paredes exteriores. A vegetação à sua volta foi recentemente cortada, o que pode indicar um possível recomeço da construção.

Uma escada no meio do nada.

Estas pedras, destinadas à construção do projecto, estão há várias dezenas de anos espalhadas pelo mato.
Artigo relacionado: O Novo Projeto da Associação Portuguesa de Medicina Preventiva

Outros artigos deste blogue relacionados com a região estão listados em ZONA CENTRO

Comentários

  1. Um mundo colorido...
    um mundo feliz...
    um mundo cheio de paz...
    um mundo cheio de afeto...
    um mundo cheio de serenidade...
    um mundo cheio de esperança...
    e um dia cheio de alegrias!
    Passei para colorir, aquecer e alegrar
    um pouco mais seu coração!
    beijocas e um lindo, lindo dia

    ResponderExcluir
  2. possuo um pisa papéis do dr bacalhau, mandado fazer por encomenda de certo, com a foto e o nome em dourado que adquiri, juntamente com alguns livros. gostaria de saber se interessa a alguém. nanda17@sapo.pt

    ResponderExcluir
  3. As obras de Dr Bacalhau não foram só estas. As represas do Dr Bacalhau masi conhecidas actualmente por Praia Fluvial da Louçainha e que a autarquia tem vindo a estragar também foram mandadas fazer por ele. Considero triste que a autarquia a pouco e pouco apague rastos de uma das poucas pessoas que pôs a região no mapa.

    ResponderExcluir
  4. Conheço também um pouco da história das represas que agora têm o nome de Praia Fluvial da Louçainha. Eram conhecidas por Piscinas do dr. Bacalhau e acho que assim deveriam ter continuado, uma vez que a obra nasceu graças a ele.
    Dei lá uns belos mergulhos, quando ainda não se falava em praias fluviais e na represa maior estava um pequeno barco coberto.

    ResponderExcluir
  5. Também eu fiz parte da romaria que nesse distante dia de Maio se deslocou para participar nessa festa que contou com a presença do Bispo de Coimbra.
    Infelizmente os dirigentes locais estão nível dos nacionais e aquele espaço foi muito descurado. Foi muito triste assistir á sua degradação.
    Agora, apesar de não concordar com os moldes em que foi feito, é com agrado que assisto ao renascer de uma obra nascida do sonho de um Homem que queria mais e melhor para a sua terra e seus conterraneos.
    Bem haja Dr Bacalhau!!
    Obrigada a si pela partilha.
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquele local vai ser sempre conhecido como as Obras do Dr. Bacalhau. Pelo menos para nós, que ali estivemos naquele dia que considero histórico, será assim. Apesar de não pertencer ao concelho de Penela, também admiro o sonho do dr. Bacalhau, e acho que a sua memória deveria ser perpetuada.
      Obrigado pela participação.

      Excluir
  6. Também conheci o Dr Bacalhau e a sua Clínica em Coimbra, onde tive um familiar próximo que lá foi operado. E tirei em Coimbra o curso de Medicina, que exerci até 31 de dezembro do ano passado numa Unidade Familiar da linha de Sintra, com muita satisfação.
    Deixo para quem gostar os meus blogs:
    www.leiturasparaavida.blogspot.com
    www.meditacaoparaasaude.blogspot.com
    Obrigada!

    ResponderExcluir

Postar um comentário