Semear batatas cavando a terra em manta



Quem semeia batatas apenas para consumo próprio costuma fazer uma ou mais pequenas sementeiras um pouco mais cedo, em Janeiro ou Fevereiro, para ter batatas novas lá para Abril ou Maio, numa altura em que as batatas armazenadas no ano anterior já se esgotaram ou estão em condições de consumo precário, isto é, a ficarem “chupadas” pelos grelos, ou negras por dentro caso tenham sido tratadas para não grelarem. As batatas de semente guardadas do ano anterior, nos primeiros meses do ano, normalmente, dependendo também da variedade, já estão com os grelos desenvolvidos o suficiente para que sejam novamente colocadas na terra.

Para estas pequenas sementeiras escolhem-se terrenos abrigados e muitos semeiam estas batatas debaixo de oliveiras, para as proteger, porque se ocorrerem geadas fortes o mais certo é perder-se a sementeira ou pelo menos esta ficar bastante comprometida porque a geada queima as batateiras e embora estas consigam sobreviver criando nova rebentação, há um atraso e uma diminuição muito grande na produção.

Ninguém vai lavrar as suas terras nos dois primeiros meses do ano apenas para semear um alqueire ou dois de batatas, por isso, (na minha região é assim que se faz) a maior parte das pessoas cava em manta um pequeno pedaço de terra para lá colocar as suas batatas.

Cavar em manta, ou à manta, significa cavar a terra a espaços de cerca de 40 a 60 cm, ou seja: rapam-se as ervas num lote (manta) com essa medida (largura da manta) e depois cava-se puxando a terra para junto dos nossos pés, de modo a ficar um rego, onde se enterram as ervas da manta seguinte. A terra cavada deste modo fica sem ervas à superfície e depois podem-se semear as batatas, ou outros produtos como favas, ervilhas, etc., fazendo pequenos regos onde se colocam as sementes que são cobertas com a terra extraída do rego seguinte.

No entanto, para poupar trabalho, utiliza-se muito o método de cavar a terra para cima das batatas, isto é: colocam-se as batatas sobre o rapão. O rapão pode ser composto não só das ervas rapadas, mas também, eventualmente, do estrume que é espalhado na terra que se vai cavar. Neste caso as mantas têm de ser mais estreitas, com cerca de 40 cm, e as batatas colocadas a espaços de cerca de 30 cm. Tem que se ter algum cuidado para não pisar as sementes e também cavar de modo a que não fique terra nem de mais nem de menos a cobrir as batatas (eu coloco cerca de 10 cm de altura). Também tem que se ter cuidado para não pôr torrões ou pedras por cima das batatas e, por isso, tem que se cavar mais miúdo e ir desfazendo os torrões com a enxada.

Este método de semear batatas é muito popular na minha região, devido não só à vantagem das batatas ficarem logo semeadas quando se cava a terra, poupando trabalho, mas também por ter fama das batateiras produzirem melhor pelo facto das sementes serem colocadas diretamente por cima das ervas e do estrume do rapão. Penso que isso tem alguma lógica, mas conseguir uma boa produção está dependente de imensos fatores e muitos deles não dependem do nosso trabalho nem da nossa vontade.



Artigos relacionados

Uma das vantagens da produção de produtos agrícolas para consumo próprio é, sem dúvida, a confiança que as pessoas têm naquilo que produzem e que consomem. Ainda, recentemente, surgiu o caso da bactéria E. coli que levou muitos consumidores a desconfiarem dos legumes que compram no mercado e, inclusivamente, a deixarem de os adquiri,r o que causou grandes prejuízos aos agricultores... Continue a ler

“Cada folha, uma nota”. Esta frase fazia parte, há alguns anos atrás, de um cartaz publicitário que apelava à plantação de tabaco em Portugal. Lembro-me de o ver afixado na cooperativa agrícola da minha terra e dele constavam também uma planta ou uma folha de tabaco e uma nota de vinte escudos. Teria sido na década de 80 ou talvez já nos anos 90, numa altura em que um pouco por todo o país se plantava tabaco... Continue a ler


Comentários