Construção caseira de uma turbina eólica para elevação de água

Tenho andado a fazer uma remodelação do sistema de rega ecológico da minha pequenina chácara. Construí uma nova turbina eólica, um pouco maior, na tentativa de conseguir que o sistema funcione com ventos mais fracos. É muito difícil conseguir dimensionar a turbina para que esta gire com ventos fracos e que, ao mesmo tempo, aguente o impacto de ventos mais fortes atendendo à resistência dos materiais usados na construção. É um sistema completamente caseiro, onde os materiais são praticamente todos recolhidos de sucatas e, devido a isso, não é possível esperar grandes resultados, não só devido a alguma fragilidade desses materiais, mas também porque o vento não sopra sempre de feição. Se é muito fraco, a turbina não consegue fazer girar a corda da bomba no sistema e, se é muito forte, superior a 70 ou 80 km hora, existe o risco do sistema sofrer graves danos.

De qualquer modo a nova turbina já esteve a funcionar, cerca de uma hora, com ventos na ordem dos 90 km/hora, e os únicos estragos foram o desaparecimento de algumas borrachas que serviam de revestimento aos parafusos das engrenagens, revestimento que foi lá colocado na tentativa de diminuir o atrito ou o choque entre as engrenagens. Esse estrago será resolvido facilmente, mas terá de ser feito de modo a que o problema não se repita.

As minhas experiências com estas “engenhocas” que funcionam com o vento tornaram-me bastante céptico, quanto a resultados, porque o êxito disto está dependente não só de uma construção bem dimensionada e bem elaborada, mas também e muito especialmente dos ventos que habitualmente sopram no local da instalação. E quanto a esta última observação, tenho notado que, infelizmente, o sítio não é muito favorável a este tipo de engenhos. É que ali o vento ou sopra com violência, ou quase não sopra, existindo períodos de calmaria prolongada, a que se seguem outros onde podem ocorrer rajadas de 100 km/hora, ou mais. Com estas condições é difícil trabalhar com este tipo de energia.

Mas, eu não desisto facilmente dos meus projetos e esta turbina eólica, vai com toda a certeza produzir algum trabalho, não aproveitando os ventos demasiado fortes, ventos que sopram sobretudo no inverno. De qualquer modo, a máquina é para funcionar sobretudo no verão, portanto com ventos fracos, e por isso mesmo tenho tentado não só jogar com as dimensões da turbina, mas também fazendo com a corda gire no tubo e nas engrenagens com a maior leveza possível.


O que funciona mesmo bem é a bomba de corda a pedal que implantei no mesmo local e à qual também fiz algumas alterações importantes, das quais darei conta num próximo post.

No vídeo que se segue, o estimado leitor pode verificar mais em pormenor a forma como foi construída a turbina eólica. 





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário :

Postar um comentário