Covão dos Conchos, a nova atração turística da Serra da Estrela


Depois da “descoberta” feita por um drone de um misterioso buraco numa pequena lagoa, das muitas que compõem o sistema hidrográfico da Serra da Estrela, o local está transformado num local de romaria turística e até em praia fluvial, pois muitos visitantes não resistem em dar um mergulho nas águas límpidas da lagoa do Covão dos Conchos, aproximando-se do funil para onde entram as águas vindas da Ribeira das Naves.

Nesta altura, início do verão, a água que entra no funil já não é muita e, provavelmente, o nível das águas da lagoa descerá tanto que o funil irá ficar muitos centímetros acima do nível da água. De qualquer modo não parece que seja muito seguro tomar banho ali, devido a situações desconhecidas e a possíveis comportamentos imprevisíveis dos próprios banhistas.


A barragem foi construída em 1955 e ali foi colocado aquele funil com a finalidade de captar as águas que são encaminhadas para a Lagoa Comprida, o maior reservatório de água da Serra da Estrela, através de um túnel com 1519 metros de comprimento. Isto é tudo o que se sabe sobre a obra, não sendo possível (eu pelo menos não consegui) encontrar nada sobre as caraterísticas da obra, o modo como ela foi feita, o percurso do túnel, os materiais utilizados, etc. Afinal, o ano de 1955 já vai longe e, nessa altura, não se tiravam fotografias, nem se “perdia tempo” a escrever.

Nesta imagem do Google Earth, vê-se ao cimo a Lagoa Comprida, em baixo a barragem do Covão do Meio. O Covão dos Conchos é o pequeno ponto escuro, em cima, à direita da Lagoa Comprida.

O acesso ao Covão dos Conchos faz-se a pé por uma estrada que parte da Lagoa Comprida e que alterna entre o razoável e o difícil, com muitas pedras soltas que atrapalham o caminhar. São cerca de 4 ou 5 quilómetros e é muito provável que tenha sido por esse caminho que foram transportados os materiais usados na construção da barragem, mas nessa altura essa estreita estrada deveria estar em melhores condições do que está hoje. Afinal foi preciso levar para lá algum cimento, areia, etc.

Esta barragem não é a única que envia as suas águas para a Lagoa Comprida. Existe outra barragem nas proximidades, de dimensão maior, que para ali desvia também as suas águas através de um túnel, este com 2354 metros de comprimento. Trata-se da barragem do Covão do Meio, que recebe as águas das encostas da Torre e as encaminha para o maior reservatório de água da Serra da Estrela.

Na barragem do Covão do Meio não é visível nenhum funil à superfície, deduzindo que a água deverá escoar-se através de uma abertura lateral. A barragem de Covão do Meio situa-se na Ribeira da Nave tendo sido projectada em 1951, entrando em funcionamento em 1953.



Depois da “descoberta” do funil dos Conchos com a publicação de um vídeo apresentando imagens de grande beleza daquele buraco a sugar a água da lagoa, alguma imprensa em que se incluíram reportagens televisivas, lançaram notícias sensacionalistas sobre a descoberta, tal como se tratasse de algo novo e que não estivesse ali já há seis décadas. Como a curiosidade atrai multidões, o percurso que vai da Lagoa Comprida até à barragem é percorrido por muitas pessoas que pretendem ver de perto aquela que quase parece ser a nona maravilha do mundo.

E a verdade é que aquele local é bonito e merece bem a pena visitá-lo, mas não é o único. Toda a serra é maravilhosa e para apreciar toda a sua beleza nada como abandonar as estradas principais, deixar o conforto do automóvel e embrenhar-se serra adentro a pé pelos trilhos e caminhos existentes na serra. Ar puro e motivos de interesse não faltam por ali…


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário :

Postar um comentário