Trabalhos de renovação e manutenção da minha cabana de troncos

A minha cabana, dois anos após a construção.

Recorrendo ao aproveitamento de materiais deitados ao lixo, ou seja, aproveitando o que outros já não querem, é possível fazer e eu próprio já fiz desse modo algumas coisas interessantes como, por exemplo, a chácara que construí em grande parte, com recurso à utilização de materiais abandonados em aterros e lixeiras. Recentemente encontrei, lançadas ao lixo, uma quantidade considerável de peças laminadas, que são normalmente aplicadas em pisos e que dão a aparência da madeira.


Peças de pavimento, laminadas, abandonadas
numa lixeira.
A maior parte eram peças inteiras e em bom estado, apenas estavam um pouco sujas e com uma ou outra mazela e, muito provavelmente, foram jogadas fora porque teriam sobrado de alguma obra de grande envergadura. Essas peças estavam num local onde é costume encontrar toda a espécie de resíduos de obras e, naturalmente, estavam destinadas a acabar ali, num epílogo sem honra nem glória…

Depois de alguns poucos segundos a meditar sobre o que poderia fazer para evitar aquele desfecho pouco lógico para aquele material ainda perfeitamente aproveitável, decidi recolher as peças e aplicá-las na minha cabana de troncos, nomeadamente no teto e chão, embora a aplicação mais normal deste material seja o revestimento de pavimentos.

O teto da minha cabana de troncos tinha sido forrado com persianas de pvc, também provenientes de reciclagem, mas no entanto achava que este material não se coadunava muito bem com a construção; aquelas peças imitando a madeira provavelmente ficariam ali melhor, apesar de não serem peças rústicas, devido à sua lisura e perfeição.

Aplicando as peças no teto da varanda.
Com alguma dificuldade consegui forrar o teto da varanda deixando as traves à vista, de modo a obter uma aparência mais rústica, mas no interior da cabana optei por tapar também as traves, não só para tornar o trabalho mais fácil, mas também para ficar com um acabamento mais fino.

O chão que estava ainda em cimento foi também revestido e depois de todo este trabalho posso considerar que o interior da cabana ficou bastante luxuoso, talvez até demais, porque, afinal de contas é apenas uma pequena construção rural.

Aproveitei a ocasião para retocar algumas juntas dos troncos que tinham aberto um pouco. O facto de estarem algumas juntas terem cedido um pouco, não me surpreendeu, porque elas foram fechadas com a madeira ainda verde e já passaram quase dois anos após a construção da cabana. Receava até que este trabalho de vedação das frestas entre os troncos fosse um fracasso devido à dilatação da madeira, mas agora que os troncos estão completamente secos, verifico com satisfação que, salvo raras excepções, as juntas continuam em bom estado.


O novo chão da cabana.
Coloquei algumas fotografias dos trabalhos de construção nas paredes interiores, como decoração e, para alegrar a parte exterior, um vaso com flores, aproveitando a ideia que alguém me deu num comentário em um dos meus vídeos.


Vídeo com mais imagens e anotações sobre o trabalho.
(Para melhor visualização do vídeo, clik em "Ver em Youtube", no rodapé do vídeo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

7 comentários :

  1. Muitos Parabéns Sr. Alexandre, espero que continue por longos e bons!!!

    ResponderExcluir
  2. Amigo, estou fazendo uma cabana também. mas estou tendo problemas com as rachaduras dos troncos. Você teve esse tipo de problema ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outra pergunta, se me permitir... Estou em duvida na escolha de qual material vou usar para tampar as frestas, como você achou que ficou a sua depois de um tempo, a argamassa não começou a cair ? quando estiver pronta vou mandar fotos. Muito obrigado

      Excluir
    2. É natural que os tronco rachem um pouco conforme vão secando, mas isso também depende do tipo de árvores utilizadas, umas racham mais do que outras. Não tive grandes problemas com isso. Quanto à vedação das frestas, eu apliquei argamassa de cimento e areia quando a madeira ainda estava verde e deveria ter esperado que secasse. Algumas juntas tiveram que ser renovadas após um ano da construção, mas não foi nada demais.
      Para evitar que a massa se solte dou-lhe um conselho baseado na minha experiência:
      Os troncos deverão ficar com um cm de folga entre eles, porque desse modo a massa fica ligada e presa entre o interior e exterior da parede. Normalmente e tendência é para deixar os troncos o mais unidos possível, mas isso neste tipo de cabanas rústicas pode ser um erro. As únicas juntas que se soltaram na minha cabana foi exatamente nos locais onde os troncos estavam bem juntos não ficando espaço para a ligação da massa dos dois lados das paredes.
      Espero ter ajudado e fico a aguardar as fotos. Obrigado pelo comentário.

      Excluir
    3. Ajudou muito sim, agora estou na parte dos acabamentos. Pesquisei alguns itens que etão me ajudando contra as rachaduras, Tanto uma sinta para postes, quanto as placas anti racha. Estou a procura de um produto que possa pintar para padronizar. Tirei algumas fotos mas não estou conseguindo enviar.

      Excluir
    4. Tente enviar as fotos para o meu email: joalexhenriques@gmail.com

      Excluir
    5. Esqueci também de parabenizar você pelo projeto, ficou muito bom mesmo e também corrigindo a palavra cinta**. hehe forte abraço!

      Excluir