Recuperação fácil e barata das sapatas de freio


Se preferir, em vez de ler ouvir o que está escrito no post, pode abrir o vídeo que está no final.

Eu sempre recuperei os freios das minhas bicicletas. Já faço isto há mais de 50 anos, já o fazia quando ainda estavam em uso os chamados travões de alavanca nas antigas bicicletas pasteleiras. Primeiro comecei a usar borracha de pneus ou até de sapatos, mas agora estou a usar borracha de correias daquelas correias que se usam nas mais variadas máquinas e também em alternadores de carro. Encontram-se facilmente em sucatas e por isso esta recuperação das sapatas dos freios ficam quase a custo zero.

O que me leva a fazer isto não é tanto o dinheiro que se gasta a comprar sapatas novas, mas porque a borracha de que são feitas não dura tempo nenhum. Claro que os fabricantes não iam utilizar um tipo de borracha que durasse muito tempo, porque senão não vendiam e isso seria um problema para eles, mas eu é que não quero saber disso. A vida custa a todos e eu já poupei um bom dinheiro com estes trabalhos de recuperação de freios ou travões de bicicleta.

Basta arranjar uma correia e comprar a cola que não fica cara. Eu comprei esta numa loja chinesa, comprei três tubos por pouco mais de um euro, o que dará mais ou menos cinco reais em moeda brasileira. Eu não usei sempre desta cola, costumava usar cola de contacto, mas estou a achar esta muito boa para o efeito. Agora existem variadíssimos tipos de colas e cada um poderá escolher a que quiser desde que seja apta para o fim em vista.

É preciso ter cuidado com as sapatas dos freios porque se as deixarmos desgastar demasiado e o metal que está metido na borracha entrar em contacto com os aros, esse metal faz um rasgo nas rodas que pode destruí-las. Eu, à conta desse descuido já estraguei alguns aros…

Recuperar as sapatas não dá quase trabalho nenhum como se pode ver pelas imagens do vídeo. Basta acertar a base das sapatas com uma faca e depois passar um pouco de lixa e também cortar à medida um pedaço de correia e depois lixar também um pouco a parte que vai colar à sapata. De seguida devem-se utilizar molas da roupa ou coisa do género, para que a borracha da correia fique a ser pressionada contra a base da sapata. O tempo para manter as molas em acção depende do tipo de cola que se utiliza. No caso desta que usei basta ser por apenas alguns minutos, mas eu, por questões de segurança, deixei uma hora a secar e só depois retirei as molas.

Como podem ver as sapatas ficaram muito boas. Estas correias têm aquelas divisões em espaços de um cm, o que faz com que pareçam sapatas novas e originais.

Depois é só colocar as sapatas nos freios ou travões da bicicleta, afinar para que as sapatas fiquem bem centradas de modo a não atingirem os pneus, ou para que não fiquem demasiado descaídas para baixo.

Não sei ao certo em quanto teria ficado este conserto, eu apenas gastei uma pequena quantidade da cola contida num tubo, mas mesmo contabilizando como se tivesse gastado um tubo completo, a despesa teria andado por volta dos 0,40 euros, o que corresponde a menos de dois reais, o que para dois pares de sapatas não parece nada caro e ainda com a vantagem de que estas sapatas irão durar o dobro ou o triplo das sapatas compradas novas.

TALVEZ GOSTE TAMBÉM DE...

Comentários